Distritais do PSD e CDS-PP querem manter coligações

As comissões políticas distritais do PSD e do CDS-PP do Porto reuniram-se, esta terça-feira, para definir estratégias para as eleições autárquicas de 2009. De acordo com Marco António Costa e Álvaro Castello-Branco há um princípio de abertura entre os dois partidos para “renovar as coligações”.

PSD e CDS-PP pretendem manter as coligações nas Câmaras da Maia, Matosinhos, Penafiel, Porto, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde e Valongo, porque o balanço é “muito positivo”. Mas também é intenção dos dois partidos aumentar o número de coligações, dependendo da vontade das concelhias e dos dirigentes locais.

O presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, eleito pela coligação “Primeiro as Pessoas”, afirma que ainda não pensou no assunto, que entende dever ser abordado “apenas depois das eleições para a comissão política concelhia da Maia do PSD”, que deverão decorrer em Outubro. Só depois disso, afirma o autarca, o assunto deverá ser conversado com a distrital para se decidir “o melhor caminho para a Maia”, sublinha.

Bragança Fernandes adianta ainda que “sempre se entenderam bem” com o PP no concelho da Maia mas não sabe o que vai acontecer no futuro. “Deixem-me falar com a distrital e com a concelhia e depois então iremos ver a melhor solução para a Maia”.

O presidente da Comissão Política Concelhia da Maia do PSD, Paulo Ramalho, recorda que a intenção da presidente do partido, Manuela Ferreira Leite, para as legislativas é, de facto, não fazer coligação com nenhum partido e que o PSD se apresente sozinho com as suas listas. No que toca às autárquicas aquilo que sabe é que “ela não se opõe a que as coligações se mantenham onde funcionaram bem”.

Isto quer dizer que na Maia “há que fazer uma avaliação sobre as vantagens em se manter a coligação ou não”. Só nessa altura será tomada uma decisão. E a altura será depois das eleições para a concelhia social-democrata. Uma coisa é certa, afirma Paulo Ramalho, “o PSD Maia não estará desintegrado da estratégia da distrital do Porto como é evidente”.

O presidente da Comissão Política Concelhia da Maia do CDS-PP, David Tavares, entende que a actual coligação deve ser levada até ao fim “com serenidade”. Mas também estará disponível para conversar sobre a manutenção da coligação na Maia, “se esse for o entendimento das duas concelhias”. “Houve uma colaboração e um respeito institucional e pessoal entre todos os intervenientes e não faria sentia dizermos um não claro a uma eventual coligação”. Mas também estará preparado para concorrer sozinho.

No entanto, considera que só depois do PSD Maia realizar as suas eleições internas elegendo uma nova ou a mesma direcção, estarão em condições de começar a negociar uma possível coligação.

Isabel Fernandes Moreira