PSD da Maia precisa de 142 mulheres para as listas autárquicas

O presidente do PSD/Porto, Marco António Costa, mostrou, na semana que passou, confiança na capacidade do partido, no distrito, mobilizar um número de mulheres suficiente para cumprir as quotas definidas para as listas candidatas às eleições que se realizam em 2009. Mas a tarefa não é fácil. As suas contas indicam que o PSD "precisa de cerca de três mil mulheres para cumprir as quotas no distrito".

Na Maia, funciona desde o início de Março um secretariado feminino, tal como acontece na distrital. E com uma missão idêntica. Feitas as contas, a concelhia da Maia terá de captar mais de 142 mulheres. Isto se o PSD apresentar o mesmo número de elementos para a lista de efectivos e para a de suplentes, como tem sido tradição. O líder da concelhia, Paulo Ramalho, lembra que serão necessários para a câmara, assembleia municipal e assembleias de freguesia 213 candidatos efectivos e outros tantos suplentes. No total são 426 pessoas. O que resulta em, pelo menos, 142 mulheres. Uma tarefa que, admite Paulo Ramalho, não será fácil.