,

JP da Maia está preocupada com a violência doméstica

A Juventude Popular da Maia está preocupada com aquilo que diz ser “significativo aumento” de incidências de violência doméstica em jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 22 anos, “na maioria dos casos numa fase pré-matrimonial, na qual já se verificam casos de abuso físico, verbal e psicológico”.

A JP maiata reuniu, no passado dia 9, com a direcção do Porto da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), dando sequência à sua campanha de sensibilização sobre o problema da violência doméstica. Neste contacto, o organismo liderado por Eric Rodrigues apurou que há “um inquestionável aumento dos casos de violência conjugal”, sobretudo entre os jovens.

Numa perspectiva da Maia, “foi demonstrado à JP Maia um aumento bastante significativo de incidências, mas sendo a violência doméstica “um crime camuflado pela vergonha” uma grande parte dos casos nunca chegam a ser denunciados, dando a certeza que é através de um trabalho de “alteração de mentalidades” que se conseguirá colmatar e por travão ao aumento deste crime”, refere a JP, em comunicado.

(Notícia a desenvolver na edição desta sexta-feira de Primeira Mão)