,

"A Maia ainda necessita de algum investimento”

O presidente da Comissão Política Concelhia (CPC) do Partido Socialista (PS) da Maia reagiu hoje ao PIDDAC 2009.

Mário Gouveia admite que os 399,6 mil euros são um valor “reduzido”, até porque “a Maia ainda necessita de algum investimento”. Mas recorda que o concelho já tem sido alvo de “um forte apoio, quer na área da educação em que fez um grande investimento no âmbito do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional), e na saúde também, conforme tem sido propagandeado pela câmara municipal”. O líder da estrutura maiata arrisca mesmo afirmar que “o Governo socialista é, provavelmente, dos governos pós-25 de Abril que mais tem investido na Maia”.

Por isso, ao olhar para os projectos previstos no PIDDAC para o próximo ano, Mário Gouveia adverte que é preciso saber quais os que foram apresentados pela Maia para serem apoiados. E acrescenta que “é preciso ter capacidade de apresentar propostas que criem alguma sensibilidade junto do Governo”. Para não se correr o risco de deixar fugir da Maia investimentos como o do Instituto Politécnico, que já começou a funcionar em Vila Nova de Gaia.

O socialista maiato confessa-se, também, preocupado por não estar contemplado, por exemplo, o projecto da Câmara da Maia com vista à despoluição do Rio Leça. Nem no PIDDAC nem no QREN.

Ouça as declarações de Mário Gouveia, presidente da CPC do PS da Maia

Marta Costa

(Notícia desenvolvida na edição de amanhã de Primeira Mão)