Maia com dois “Artistas Digitais”

José Filipe da Silva Neto Santos tem apenas nove anos mas já pensa no seu futuro com determinação. Quando for grande, garante, quer ser “Presidente da República”, diz muito a sério. Acha que a política não devia ser “da forma que é”. Por isso, quer ser Chefe de Estado para “pôr a política em condições”. E se o fosse tudo faria para “acabar com a crise financeira”.

Terá sido essa mesma determinação que o fez vencer a VII edição do concurso nacional “Artistas Digitais”, no tema “A família é…”. E a família deste menino é uma joaninha, um papagaio, que têm um filho castanho e diferente. A ideia não foi escolhida ao acaso por este aluno da escola EB1/JI D. Manuel I, em Vermoim. O desenho pretende passar uma mensagem para “não haver racismo”.

José Filipe já estava, desde muito cedo, habituado às novas tecnologias. Admite que desenhar no papel é bem mais fácil do que no computador. “Porque o rato pode escorregar do tapete e estragar o desenho”. No entanto, José Filipe prefere. “Dá menos trabalho”, justifica ele. E voltando a falar do futuro e enquanto não tiver idade para ser presidente, afirma que vai optar pela engenharia mecânica.

Mas não foi este o único prémio a vir para o concelho da Maia, no âmbito deste concurso promovido pelo CCEMS – Centro de Competência “Entre Mar e Serra”, no âmbito das actividades de enriquecimento curricular, neste caso, a informática. Ao primeiro lugar de José Filipe juntou-se também o terceiro lugar do pódio no tema “O meu animal favorito”, que foi atribuído a Margarida Ramos Silva, aluna da escola EB1 Maia Sede. Margarida desenhou uma borboleta. A PRIMEIRA MÃO contou que costuma ver no computador, mesmo nas imagens que já vêm no computador, que antes de serem gravadas, as borboletas normalmente aparecem azuis. “Então, tentei basear-me nessas borboletas. Depois, tentei fazer a borboleta mais ou menos simétrica”. E a verdade é que arrecadou o terceiro lugar, embora não estivesse à espera e afirma que ficou “um bocadinho em choque”.

A verdade é que os prémios arrecadados pelos dois meninos mereceram uma recepção na Câmara Municipal da Maia, pelo presidente Bragança Fernandes, esta segunda-feira, ao final da tarde. Presente este também o vereador da Educação e Acção Social, Nogueira dos Santos e os presidentes das Juntas de Freguesia da Maia e Vermoim, Carlos Teixeira e Aloísio Nogueira, respectivamente.

Bragança Fernandes ofereceu aos meninos uma trotinete e uma réplica do desenho, encaixilhado para guardarem como recordação. Aos pais, deu os parabéns “pelos filhos que têm”. Um voto que se estendeu também às escolas pelo trabalho que desenvolvem. O autarca referiu ainda que no município estão “a construir a Maia do século XXI”. “Investimos na informática, na educação, no apoio aos idosos”, justificou.

Os objectivos deste concurso nacional centram-se não só na promoção da utilização das TIC em contexto escolar mas também em desenvolver as capacidades de utilização das ferramentas de processamento de texto e de imagem, como instrumentos fundamentais para estimular a capacidade criativa dos alunos. De referir que, já na edição do ano passado, o aluno Rui Santos, da escola EB1 de Parada, tinha conseguido um terceiro lugar, com um trabalho alusivo ao tema “O meu herói é…”. No caso do Rui foi o bombeiro.

Isabel Fernandes Moreira