Câmara vai contrair empréstimo para pagar a fornecedores

A Assembleia Municipal da Maia aprovou, ontem à noite, por unanimidade, a contratação de um empréstimo de médio e longo prazo, no âmbito do programa de regularização extraordinária de dívidas do estado, para pagar a fornecedores. O empréstimo no valor de 7.527.320,43 euros vai ser contratado junto do banco Santander Totta, em regime de taxa de juro indexada à euribor a seis meses, acrescida de spread de 1,5 por cento.

O “Programa de Regularização Extraordinária de Dívidas do Estado” emana de uma resolução do Conselho de Ministros, publicada em Diário da República. O programa, ao qual podem recorrer os municípios e as regiões autónomas, disponibiliza um montante de 1.250 milhões de euros, sendo que 40 por cento são concedidos pela Direcção-Geral do Tesouro e Finanças e o restante por Instituições de Crédito.

A ideia é substituir a dívida a fornecedores por empréstimos de médio e longo prazo, promovendo a redução do Prazo Médio de Pagamentos dos compromissos assumidos perante terceiros.

O presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, recorda que com este recurso a edilidade não vai aumentar a dívida. Vai sim é pagar aos fornecedores e passa apenas a dever à banca.

A oposição aprovou o empréstimo, mas aproveitou o momento para recordar “velhos” discursos.

Notícia desenvolvida na edição de amanhã de PRIMEIRA MÃO.

Isabel Fernandes Moreira