Junta de Vermoim com casa nova e moderna

Com fotografias e vídeo

Está oficialmente inaugurado o novo edifício sede da Junta de Freguesia de Vermoim. O acto decorreu no sábado à tarde, com toda a pompa e circunstância, e na presença de várias dezenas de convidados que fizeram questão de não faltar ao convite. A cerimónia começou com o hastear das bandeiras, ao toque da Banda Marcial de Gueifães. Depois, foi descerrada a placa evocativa do acto, à qual se seguiu uma sessão solene no salão nobre, que se tornou pequeno para acolher todos aqueles que quiseram testemunhar esta inauguração.

O primeiro discurso partiu da presidente da Assembleia de Freguesia de Vermoim. Marta Peneda não escondeu a alegria e o orgulho por estar a testemunhar a inauguração de uma obra “que era muito desejada”. “Qualidade, excelência e inovação” foram os adjectivos utilizados por Marta Peneda para definir não só o trabalho da Junta de Vermoim mas também do concelho da Maia. Mais, “a ambição é a marca de grande ambição que a Maia vem imprimindo no seu trabalho”.

Fotografias:

Um momento de felicidade também partilhado pelo presidente da Assembleia Municipal, Luciano Gomes, porque “cada vez que se dá um passo em frente nesta terra, quem cá anda há tantos anos como eu, tem que se sentir feliz”.

A intervenção mais emocionada partiu do presidente da junta. Aloísio Nogueira não escondeu as lágrimas e com a voz já embargada avisava que o choro podia mesmo acontecer porque os seus antepassados representavam “uma grande responsabilidade”. “É um dia muito importante na minha vida”.

Falando do edifício, afirmou tratar-se de um espaço “bonito e cuidado no detalhe”, recordando que o desenvolvimento faz-se “dignificando o papel das freguesias na sociedade”. E a inovação das instalações das juntas de freguesia, acrescentou, é um sinal que “as juntas sempre trabalharão para a população”.

Aloísio Nogueira considera que sem trabalho nada se consegue, no entanto, reconhece que em Vermoim tiveram “alguma sorte”. Por isso, nos seus agradecimentos, não deixou de agradecer precisamente àquele que apelidou de “pai da ideia”, o vice-presidente da Câmara da Maia, António da Silva Tiago.

Também não esqueceu de agradecer àqueles a quem chama de “velhos do Restelo”, “aqueles que auguram tudo de mau”. “Foi contra eles que fizemos o edifício e conseguimos o objectivo.

Bragança Fernandes destacou os padrões de “qualidade e modernidade” da obra. “Trata-se de uma obra que reflecte rigor, cuidado e a exigência que queremos para o concelho”. Depois, aproveitou também para enumerar várias obras que estão a ser e vão ser levadas a cabo na freguesia de Vermoim, nomeadamente o lançamento da primeira pedra do Parque Maior e o arranque da Praça Maior.

Na sexta-feira, numa antecipação ao acto formal, o presidente da Junta e o presidente da Câmara da Maia fizeram uma visita guiada aos jornalistas ara apresentar um espaço que o autarca Aloísio Nogueira define como “muito importante para o desempenho de novas competências da Junta de Freguesia”. Um espaço com capacidade para acolher as competências que lhe são, cada vez mais atribuídas. “É um edifício ao serviço do associativismo, da solidariedade social, do desporto, da cultura e da música”, afirmou Aloísio Nogueira.

Trata-se de um investimento municipal na ordem de um milhão de euros, distribuído por três pisos. Um espaço moderno, com diversas valências, entre as quais um auditório, uma sala de exposições com vista panorâmica para a rua, sala de atendimento ao público com zona wireless, um Open Space para eventos com acesso Internet grátis, jardim de Inverno e esplanada exterior no último piso.

De acordo com o presidente da Câmara Municipal da Maia, esta inauguração é mais um avanço no projecto de renovação dos espaços das juntas de freguesia do município. Por exemplo, ainda em Dezembro foi inaugurado o mais recente edifício na freguesia de Vila Nova da Telha. E em Agosto deverá ser inaugurado o de Gemunde. Para breve, referiu, está o arranque da segunda fase do edifício sede da Junta da maior freguesia do concelho da Maia, Águas Santas.

“Vamos até si”

O novo edifício vai albergar também o projecto de âmbito social “Vamos até si”, que está ao dispor dos habitantes de Vermoim, nomeadamente os mais idosos, doentes e acamados, apoiando-os com ajuda ao domicílio na entrega de alimentos e medicamentos, assim como disponibilizando cadeiras de rodas e camas articuladas.

Isabel Fernandes Moreira

Veja a reportagem vídeo: