Câmara premeia campeões do Mundo de Kung Fu

A Câmara Municipal da Maia homenageou, esta segunda-feira, três atletas maiatos pelos seus feitos desportivos a nível nacional e internacional.

Os atletas galardoados foram Margarida Santos, campeã do Mundo de Kung Fu, na forma tradicionais Punhos, vice campeã nas formas tradicionais Armas e campeã nacional nas vertentes Nan Gun (Bastão) e Nan Dão (Sabre); Gonçalo Pinto, campeão do Mundo de Kung Fu em juniores nas formas tradicionais Punhos e Armas e Jorge Rodrigues, vice campeão nacional de Kung Fu em seniores, nas vertentes San Da (combate) e formas tradicionais de Armas. Os títulos foram conquistados em Outubro de 2007, no Campeonato do Mundo de Kung Fu e Tai Chi que decorreu na Póvoa de Varzim.

Os três campeões pertencem à Escola de Artes Marciais Chinesas “She-Si”, no Porto.

Para além de congratular os três atletas maiatos, Bragança Fernandes aproveitou para justificar a razão pela qual só agora estavam a ser homenageados. Refira-se que desde há dois anos que a autarquia realiza uma Gala do Desporto que reúne todos os atletas da Maia que se destacaram na área da prática desportiva, nas suas mais diversas modalidades. O edil explicou que não foi informado, em tempo útil, dos títulos conquistados. E por isso, pediu “desculpa”.

Com mais títulos conquistados, Margarida Santos considerou um “privilégio” trazer o título de campeã do Mundo para um concelho que dá valor aos seus atletas. “É uma mais valia para a Maia, um concelho que dá muita atenção ao desporto”, sublinhou. O Kung Fu não foi a primeira actividade desportiva com que Margarida teve contacto. Durante três anos praticou ballet clássico numa escola que fica bem perto da academia de artes marciais da qual faz parte actualmente. Desde sempre, o pai incentivou-a a praticar uma modalidade de defesa pessoal, o Karate, mas não se sentia motivada. Um dia, por acaso, foi com o pai assistir a um treino de Kung Fu, depois, experimentou um treino. E acabou por ficar lá, até hoje. Mais do que uma actividade desportiva, Margarida Santos diz que o Kung Fu “é uma filosofia de vida. Quase não imagino a minha vida sem isto. É uma coisa que me preenche completamente”.

Para Gonçalo Pinto a participação na prova internacional foi uma oportunidade única. “Com a falta de fundos e de patrocínios, nós nunca participamos em nada, mas como este campeonato foi cá em Portugal, conseguimos infiltrar-nos nesta competição e conseguimos óptimos resultados”, referiu. Relativamente à homenagem da Câmara Municipal da Maia, Gonçalo Pinto manifestava-se “contente” com o gesto, “porque são raras as pessoas que dão valor a estas coisas”. “Vê-se diariamente os jogadores de futebol serem galardoados e serem premiados pelos seus feitos, e nós que treinamos imenso, chego a dedicar quatro horas de treino por dia, não somos reconhecidos. Faço isto por prazer próprio, nunca poderia fazer disto a minha vida profissional”, acrescenta. Mesmo assim, diz que ainda tem um longo caminho a percorrer, “para treinar, para aprender e muito para atingir”. O campeão do mundo de Kung Fu confessa que quer ganhar mais títulos de campeão, e que “adorava” competir fora do país. “Basta deixarem-me e dizer o que tenho de fazer que eu faço”, garante.

O único contacto que os atletas têm a nível internacional acontece de dois em dois anos, durante os estágios na China.

Fernanda Alves

1 responder
  1. joseph david sobreira cruz
    joseph david sobreira cruz says:

    olha alexandre de feitas mim em cino aitsu pois ja bigo com fenandito pinto agora eu tenho o melho de são paulo de kong fu agora tenho com campião de kong fu muithias na inted pois eu ganho bingano com um mestre de são paulo

Os comentários estão fechados.