As redes que ligam a Maia

A Internet é um meio cada vez mais poderoso. As autarquias, cientes da potencialidade da rede, estão a aproximar-se, cada vez mais, dos cidadãos. A Maia não é excepção. Desde o ano de 1998 na rede, a página internet da Câmara Municipal da Maia foi distinguida, a 5 de Dezembro do ano passado, com o segundo lugar do prémio "Sapo Local/Universidade do Minho 2008", que se destina a destaca os municípios com melhor presença na aldeia global. O prémio, que distingue o esforço das autarquias em manter sítios da internet funcionais, valoriza a qualidade, quantidade e diversidade dos serviços que são prestados on-line.

A página principal da Câmara Municipal da Maia é, essencialmente, um meio de comunicação unidireccional que parte da autarquia para a população, sem grandes possibilidades de interacção com o público. Ao entrar no site da câmara maiata, as notícias da autarquia e a mensagem do Presidente da Câmara estão em primeiro plano, assim como atalhos para diferentes secções do site e vários portais da autarquia. Uma das ligações conduz-nos ao portal "Torre Lidador", a plataforma de "e-Government" que, traduzido, significa algo como "governo digital".

No portal "Torre Lidador", é oferecido aos habitantes da Maia um vasto conjunto de ferramentas e serviços, protegidos por palavra-passe, o que obriga os maiatos a fazer um registo no sítio. Nesta página, é possível consultar processos de urbanização e edificação, requerer a ocupação da via pública, iniciar uma venda ambulante, fazer o pagamento de serviços disponibilizados pela câmara, pedir licenças para o serviço de parqueamento exclusivo a pessoas com mobilidade reduzida, entre outras valências. Há também a possibilidade de fazer reclamações, através de um formulário on-line disponibilizado para o efeito. O cidadão pode escolher o que o incomoda e apresentar queixa – um buraco na estrada, veículos abandonados na via pública, ruído e lixo são apenas alguns exemplos – sem sair de casa. É também dada ao munícipe a hipótese de falar (quase) directamente com o responsável máximo pela autarquia maiata, assim como consultar actas, editais e regulamentos municipais. Podia ser melhor mas atinge um patamar acima da média em termos de comunicação com a população.

O panorama das Juntas de Freguesia da Maia na internet é menos animador. Grande parte das freguesias esquece-se da internet, e tem uma presença quase simbólica ou mesmo inexistente na rede. Podem ver-se páginas pouco cuidadas, encomendadas a empresas de "portais de juntas de freguesia", que constroem uma página pré-formatada pela quantia de 12 euros, até sítios da internet de estética apelativa, mas com pormenores que deixam a desejar. Enquanto algumas disponibilizam apenas um endereço de correio electrónico, como é o caso das freguesias de São Pedro de Avioso, Santa Maria de Avioso, Gondim, Nogueira da Maia, Moreira da Maia e Vila Nova da Telha, há juntas de freguesia que se esforçam por manter uma imagem satisfatória na internet, mas revelam-se insuficientes. Por exemplo, o "mapa interactivo" da Junta de Freguesia de Folgosa é uma pequena janela apontada ao serviço Maps da multinacional Google. A pequena porção de página está com um mapa centrado na freguesia, sem quaisquer funcionalidades adicionais. Maia e Vermoim, duas das três freguesias que, juntamente com Gueifães, compõem a Cidade da Maia, são dois exemplos de presenças aceitáveis na internet. A Junta de Freguesia da Maia apresenta um conjunto de serviços autárquicos que permitem ao freguês consultar as análises das fontes de água do Viso e de Godim, registar animais e pedir o cartão de residente da Freguesia da Maia.

Destaque para a página internet da Junta de Freguesia de Vermoim, a mais completa das 17 freguesias da Maia. Além de serviços à população, é possível aos visitantes fazer uma visita virtual a Vermoim, através de um mapa interactivo com centenas de pontos de interesse ao longo da freguesia. A página da junta vermoense proporciona à população uma página para conversas online, assim como uma extensa fototeca e até uma webcam apontada à Igreja de São Romão. Esta semana é também possível assistir, em directo, à XVI Taça Maia Jovem, em ténis, no Complexo Municipal de Ténis da Maia. Numa aposta clara nas novas tecnologias de informação, a Junta foi mais longe e, de momento, é possível acompanhar o presidente da Junta de Vermoim através do Twitter, uma rede social de “microblogging”. Desta forma, consegue-se saber a resposta de Aloísio Nogueira à pergunta do site, "O que está a fazer?". À data de consulta da página da freguesia de Vermoim, Aloísio Nogueira encontrava-se "a terminar a reunião da Junta de Freguesia".

Acessibilidades

As empresas municipais também privilegiam o contacto com o cidadão. A Maiambiente permite aos maiatos a consulta, através de um mapa interactivo, do percurso nocturno e diurno de recolhas de lixo selectivas e indiferenciadas, assim como saber em que pontos da cidade se encontram os ecocentros, ecopontos e vidrões. Além dos pontos e dos percursos de recolha de lixo, é também possível conhecer os arruamentos que são visitados pelos veículos de limpeza urbana. Na página da Maiambiente é também possível marcar a visita de serviços camarários para a recolha de "monstros", como grandes electrodomésticos, sofás ou móveis obsoletos e até resíduos de jardim.

Embora a presença dos serviços públicos maiatos na internet seja satisfatória e a presença da Câmara Municipal na internet tenha sido premiada, a rede global é um meio de comunicação que abrange tipos de público diferentes, alguns com necessidades especiais. Daí a necessidade de criar uma entidade que regule a acessibilidade das páginas na internet. Essa tarefa está a cargo do Centro de Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. A página www.acessibilidade.net propõe-se a "facilitar o acesso ao computador, ao software e à Internet a pessoas com deficiência, através de tecnologias de acesso e técnicas de concepção de software e de conteúdos Web acessíveis". Nas páginas de organismos públicos maiatos que foram visitados, nenhuma possuía o "símbolo da acessibilidade", um globo azul, inclinado, com uma grelha e um buraco de fechadura.