Centro Cívico e alargamento do cemitério são as prioridades para S. Pedro de Avioso

Guilherme Maia, em entrevista, revela o desejo de ter um infantário na freguesia

Edifício da actual junta pode ser demolido

PRIMEIRA MÃO – Cumpriu o seu primeiro mandato como presidente de junta na freguesia de S. Pedro de Avioso, embora já tivesse assumido outras funções nos anteriores executivos. Para presidente de junta foi eleito pela coligação PSD/CDS-PP. Que balanço é que faz deste primeiro mandato?

GUILHERME MAIA – Aquilo que prometi está feito, agora gostaria de fazer mais. Penso que ainda terei essa oportunidade, que é termos o terreno para o Centro Cívico, e estamos a tratar também do alargamento do cemitério. São coisas que já se vem falando ao longo dos anos. Pensei que fosse neste mandato, embora não fosse prometido. Mas penso que é capaz de ser uma realidade. Dentro de dias espero ter a certeza.

Esse era um desejo que já tinha manifestado na primeira entrevista que tivemos, quando tomou posse. O que é que tem impedido a resolução desta questão?

Há 12 anos que se vem a falar nisto. Já no tempo de outros presidentes se vinha falando da compra do campo da Vinha. Nunca se concretizou, e agora, estamos a deixar o campo da Vinha e a ver se vamos para outro lado para resolver o problema.

Já desistiram dos terrenos do campo da Vinha?

Sim, vão ficar apenas para alargamento do cemitério.

E então, onde vai ser construído o Centro Cívico da freguesia?

Vai ficar numa zona próxima, mais centralizada. Estamos a ultimar alguns pormenores.

O que tem dificultado a realização do projecto? As negociações com os proprietários, as dificuldades financeiras da câmara municipal?

É tudo. Chegou-se a entrar num acordo para o campo de Vinha, em termos de verbas, mas a câmara nessa altura não podia. E quando podia, já não se concretizou porque o dono do terreno já não estava interessado. E era uma verba bastante elevada, porque o terreno é bastante grande. Dava para tudo. Era o sítio ideal para a junta de freguesia. Mas uma vez que não se pode concretizar esse sonho, vamos ver se tentamos um outro local para o Centro Cívico, porque é muito necessário para a freguesia.

Já há um projecto ou ideia do que se pretende para o Centro Cívico?

Sim. Aquilo que eu peço é uma junta nova, um centro de dia, um infantário que não temos na freguesia. É disso que precisamos. Não vou estar a pedir grandes salas e grandes luxos, para que daqui a meia dúzia anos não tenhamos que estar a trabalhar só para a manutenção da casa.

Há uma grande necessidade na freguesia de equipamentos de apoio à infância e terceira idade?

Sim. Têm de sair da freguesia para ter acesso a esses equipamentos. Não é por acaso que há uns anos atrás, porque não tínhamos a pré a funcionar na escola do Ferronho, as crianças iam para outras creches e infantários fora da freguesia, e depois, quando chegava a altura de irem para a escola, os pais matriculavam-nos fora da freguesia, para puderem acompanhar os amigos. Há 12 anos estávamos a ver que perdíamos a primeira classe, se não se arranjasse meninos de fora para virem para o Ferronho. Com as obras que fizemos e que permitiram a abertura da pré, hoje, temos duas classes do primeiro ano.

A freguesia tem crescido em termos populacionais?

Sim. Agora que está a haver uma maior actualização dos eleitores, porque temos muitas pessoas a viver em S. Pedro de Avioso que não estão recenseadas na freguesia, sobretudo a zona do Castelo que cresceu muito em termos de apartamentos. As pessoas fazem o recenseamento quando são obrigadas, quando precisam de algum documento. Temos tentado, através do nosso site, incentivar as pessoas a fazer o recenseamento.

A actual junta de freguesia não tem as condições ideais para servir a população?

É uma junta de freguesia muito pequena, em termos de instalações. Quase que não temos gabinete do presidente. Na maior parte dos casos atendo as pessoas na secretaria. É a isto que se resumem as nossas instalações. E mesmo assim, temos melhores condições do que aquilo que tínhamos na junta que se fez há 30 anos, porque tinha muitas salas ocupadas pelo Centro Social.

E já pensou qual será o destino do edifício da junta, quando o Centro Cívico estiver pronto?

Eu gosto do prédio, por ser antigo e estar ali há muitos anos. Mas se formos a ver, o melhor seria aquilo sair dali, ser demolido. Iria permitir juntar ali três ruas: Quirás, Vilarinho de Baixo e Quintã. Há ali uma bifurcação muito apertada, que provoca muitos acidentes. Se aquilo desaparecesse já dava mais espaço para se fazer uma rotunda ou qualquer coisa do género.

Portanto, a demolição do edifício poderá ser uma possibilidade?

Pode ser, porque é uma construção antiga. O soalho e os travejamentos estão podres, tinha de levar placas. Não sei se compensaria fazer essas obras.

Na parte de baixo guardamos as ferramentas dos funcionários, mas não temos onde guardar o Dumper. Tivemos de pedir a uma pessoa amiga para guardar o Dumper.

Têm ainda de partilhar o espaço com o Grupo de Jovens de S. Pedro de Avioso?

Sim, quando eles precisam do espaço para tirar fotocópias ou qualquer coisa, é lá que eles vão. Ou então, vão para o Centro Social. Os jovens estão ligados ao Centro Social e à junta. Há um bom entendimento entre ambas as partes.

O trabalho desenvolvido pelo grupo de jovens veio dinamizar a freguesia. Tem sido positiva esta parceria?

Estou muito satisfeito com eles. Ainda agora no 25 de Abril fizeram uma série de actividades no Parque de Avioso. Fazem recolhas de roupas e de outros bens, por altura do Natal, para distribuir pelos mais carenciados. São eles que vão com os miúdos para a praia nas colónias de férias. Acompanham os idosos no nosso passeio anual. Têm trabalhado muito. Estou muito satisfeito com eles.

É uma parceria para continuar?

Enquanto eu lá estiver, é.

Fernanda Alves

CAIXA

Perfil

Guilherme Maia foi, durante oito anos, o tesoureiro da Junta de Freguesia de S. Pedro de Avioso. No primeiro mandato foi eleito pelo Partido Socialista, enquanto no segundo, juntamente com Jaime Pinho, anterior presidente de junta, candidatou-se pelo Movimento de Independentes. Nas eleições de Outubro de 2005, apresentou-se como candidato à presidência da Junta de Freguesia de S. Pedro de Avioso, pela coligação PSD/CDS-PP. Foi eleito com maioria absoluta, conseguindo seis mandatos, enquanto que o PS, a única força da oposição, elegeu dois mandatos. Desta forma, Guilherme Maia conseguiu garantir uma gestão tranquila.

Fernanda Alves

FRASE

“Chegou-se a entrar num acordo para o campo de Vinha, em termos de verbas, mas a câmara nessa altura não podia. E quando podia, já não se concretizou porque o dono do terreno já não estava interessado. E era uma verba bastante elevada, porque o terreno é bastante grande. Dava para tudo. Era o sítio ideal para a junta de freguesia. Mas uma vez que não se pode concretizar esse sonho, vamos ver se tentamos um outro local para o Centro Cívico, porque é muito necessário para a freguesia”