Castelo continua na primeira divisão distrital

O Castelo da Maia garantiu a permanência na primeira divisão distrital, Série 1, ao finalizar a temporada em nono lugar, com 49 pontos, 13 vitórias, 10 empates e 11 derrotas. Ao longo da temporada, a equipa dirigida por Santos Cardoso manteve-se quase sempre entre o 6º e o 9º lugar.

O objectivo traçado no início da temporada era ficar entre os seis primeiros lugares, no entanto, o presidente do clube, Baltazar Ferreira, manifesta-se satisfeito com o resultado obtido pela equipa sénior. “O nosso objectivo era ficar uns lugares mais acima, mas também era um plantel muito jovem e de qualquer forma, é uma equipa a médio prazo. O objectivo principal, que era formar um grupo que nos permita no futuro alcançar outros resultados foi cumprido”, diz o dirigente. O último encontro do Castelo, nesta temporada, foi no passado domingo, com o Valadares. A jogar em casa, os maiatos despediram-se com uma vitória por 2-0. Quanto ao desempenho do treinador da equipa, Santos Cardoso, ao longo de toda a época, Baltazar Ferreira faz uma avaliação positiva. “Aquilo que foi planeado inicialmente quando contratamos Santos Cardoso, as condições e os resultados que se pretendiam, foram dentro daquilo que tínhamos projectado. É um trabalho positivo”, diz.

Quanto à próxima temporada e à possibilidade de Santos Cardoso continuar no comando técnico do plantel sénior do Castelo, Baltazar Ferreira deixa tudo em aberto, até porque o clube terá ainda de eleger uma nova direcção. No entanto, diz que a renovação com o treinador é sempre uma “hipótese”. As eleições estão marcadas para o início de Junho. O actual presidente diz que ainda está a preparar uma eventual candidatura. “Estamos a desenvolver contactos no intuito de formar uma direcção que envolva mais elementos, mais sócios, para potenciar o clube, principalmente a equipa sénior, para na próxima época se tentar fazer algo melhor”, referiu o ainda presidente do SC Castelo da Maia. O dirigente diz que se conseguir reunir os apoios que considera necessários para dar continuidade ao projecto do clube, e até melhorá-lo em alguns aspectos, deverá avançar como candidato à liderança da direcção do SC Castelo da Maia.

Abaixo-assinado para campo de treinos

Está a circular desde o último fim-de-semana um abaixo-assinado do SC Castelo da Maia para a construção de um campo de treinos, conforme está previsto no protocolo assinado em Dezembro de 2004 com a Câmara Municipal da Maia. O clube pretende reunir cerca de cinco mil assinaturas. Até esta terça-feira, tinha já mil assinaturas. “O clube quando cedeu o estádio à câmara da Maia foi rubricado um protocolo no qual ficou estabelecido que num prazo de três anos a câmara assumia o compromisso de construir o campo de treinos”, lembra o presidente da direcção. Mas devido a algumas dificuldades nas negociações dos terrenos contíguos ao estádio Dr. Costa Lima, nas traseiras da bancada, o projecto acabou por sofrer alguns atrasos. De acordo com Baltazar Ferreira, agora, parecem estar reunidas as condições para a concretização da obra. “As negociações para um dos terrenos está resolvida, o outro está em fase de conclusão”, adiantou. Por isso, diz que “este é o momento para se executar a obra”.

O campo de treinos é considerado fundamental para a formação de jovens atletas, “tanto mais que o clube, esta época, pela primeira vez, teve todas as equipas dos escalões de formação, desde as escolas até aos juniores”. Sem um campo de treinos, “é uma enorme dificuldade ter de deslocar a formação, e até para a própria sustentabilidade do clube”, diz.

Baltazar Ferreira defende que todas as estruturas e valências desportivas do clube devem estar centralizadas no estádio do Castelo, proporcionando desta forma, uma maior rentabilidade financeira. É que está prestes a entrar em funcionamento a sede social, por isso, “é fundamental termos todas as equipas a treinar e a jogar nas instalações do clube”, diz.

O dirigente diz que o objectivo do abaixo-assinado não é pressionar directamente a câmara a cumprir o compromisso assumido com o clube, mas sim, “documentar um sentimento que é de todos os habitantes da Vila do Castelo e das pessoas que estão ligadas ao clube. É um desejo de todos nós. É uma forma de reforçar ainda mais aquilo que é de direito do clube”.

Fernanda Alves