Opinião António Neto: “Olhos nos Olhos!…”

A leitura atenta dos acontecimentos demonstra que as próximas batalhas eleitorais se vão processar num quadro de desigualdade de meios e de silenciamento das propostas da CDU. Serão os eleitores a decidir e não os “construtores” de opinião ou as sondagens fabricadas à medida dos fatos de interesses de quem as produz ou as solicita. Em democracia ninguém é dono dos votos e são os eleitores que decidirão quem serão os protagonistas no Parlamento e nos Órgãos Autárquicos locais.

Neste aspecto a Maia não difere da realidade nacional, sem prejuízo de a nível local o respeito e a tolerância serem virtudes que caracterizam o combate politico, honrando os pergaminhos dos Maiatos, embora num ou noutro caso se assista a tentativas de afirmação pela negativa.

Há sem duvida diferenças no plano das ideias, das propostas e do projecto, mas defendidas com rigor, lealdade e verdade.

A luta política valida-se pelo trabalho realizado, sem esquecer que pode ser feito de forma diferente e melhor.

Há da nossa parte fortes razões para valorizar o crescimento eleitoral da CDU e para confiar na possibilidade de ampliar ainda mais esse crescimento nos próximos actos eleitorais (legislativas e autárquicas).

O crescente apoio à CDU traduzir-se-á num reforço de votos e deputados nas eleições legislativas que nos dará força e incentivo para garantir uma ampliação da votação nas autárquicas, garantindo a nossa presença na futura Vereação da Maia, aumentando o numero de eleitos na Assembleia Municipal e reforçando as nossas posições nas freguesias, tendo em consideração as características das eleições autárquicas e o espírito forte de renovação assente no prestigio, na confiança, na honestidade e trabalho dos seus candidatos.

Sólidas tradições

Somos uma força política com sólidas tradições no trabalho autárquico quer em maioria, quer em minoria e reconhecida pelo respeito pelo trabalho realizado pelo Poder Local Democrático. Acredito que o capital de experiência politica adquirido como autarca em Assembleias de Freguesia e Municipal e em dois Executivos da segunda maior freguesia do País, como Vogal e Secretario, responsável dos Pelouros da Educação e Acção Social e o conhecimento do Maia pela vivência na Juventude, o contributo politico em actos eleitorais para os quais fui destacado partidariamente e pela ligação aos maiatos, são condições fundamentais para que os Maiatos possam acreditar na disponibilidade total para trabalhar com isenção, rigor e honestidade, por uma Maia melhor

É evidente que neste quadro político desigual, nomeadamente de meios, será o nosso trabalho de formiguinha, a nossa humildade e a nossa ligação às populações e aos trabalhadores que transformarão a possibilidade na certeza: – Na Maia, a CDU terá mais votos, assumirá todas as responsabilidades e corresponderá à confiança dos Maiatos, na Câmara, Assembleia Municipal e nas Freguesias.

Esta exigência e responsabilidade implicam uma CDU com candidatos mais aptos, mais ligados aos problemas locais e capazes mobilizarem e envolverem as populações.

É na resolução dos problemas concretos e numa linha valorizadora de todos os meios de intervenção que a CDU se alargará, se reforçará e será a presença que falta na Vereação da Câmara Municipal da Maia.

Vivemos um tempo em que nada pode ser feito ou deixado ao acaso e em que tudo deve ser ponderado.

É este o rumo: – é nas pequenas e grandes questões que se vê a diferença das políticas. É neste sentido que a CDU se afirma e se alicerça, com um projecto necessário, indispensável e alternativo à actual maioria.

Estar atento aos novos fenómenos e problemas, reconhecer os aspectos positivos do trabalho realizado, efectuar a critica assente em propostas concretas alternativas e construtivas é manter a CDU desperta e actual, capaz de responder aos anseios das populações.

Adoptaremos sempre uma postura de valorização e dignificação dos Órgãos Autárquicos, potencializando e utilizando todos os mecanismos e procedimentos que a Lei e os Regimentos consagram.

Este é o meu segundo registo em período de pré-campanha, pois sinto que este estilo de respeito na diferença, no rigor das propostas e de contacto humilde com as populações deixa rasto de simpatia que se traduzirá, sem dúvida, em resultados. Acredito que assim será.

Gostaria ainda como nota final de afirmar que sou acérrimo defensor dos direitos humanos e clara e fundamentadamente contra a pena de morte e sua aplicação seja por que País for e seja qual for a motivação.

Nota Importante: A referência ao silenciamento das propostas da CDU não se reporta, de modo algum, à imprensa local que sempre manteve um comportamento noticioso de isenção, pluralismo e igualdade por todas as candidaturas, sem prejuízo da opção editorial que se respeita. A Imprensa Local e os seus jornalistas merecem a consideração e estima de todos.

Candidato da CDU à Câmara Municipal da Maia