PS com listas “com muita competência, representatividade e disponibilidade”

O Partido Socialista entregou, na sexta-feira, no Tribunal da Comarca da Maia, as listas candidatas do partido às eleições autárquicas. Os socialistas concorrem a todos os órgãos e, no caso das freguesias, concorre a todas as assembleias de freguesia do concelho. Listas que o presidente da Comissão Política da Maia do PS, Mário Gouveia, considera vencedoras a todos os níveis.

No caso das Juntas de Freguesia, o Gouveia adianta que o PS apresenta quatro mulheres a encabeçar listas às Assembleias de Freguesia. Carla Dias lidera a lista a Folgosa, Maria Manuela Nunes a lista a Gemunde, Susana Pinheiro a Milheirós e Isabel Quelhas a Santa Maia de Avioso. Mário Gouveia aponta o adversário mais directo do PS, “onde não há nenhuma mulher a encabeçar as listas, o que quer dizer que será histórico nestas eleições autárquicas que, pela primeira vez, haverá uma mulher a conduzir os destinos de uma freguesia e essas mulheres serão socialistas”, acredita.

O líder socialista da Maia também acredita que conseguiram uma boa composição das listas com pessoas “com muita competência, com muita representatividade dentro das freguesias e essencialmente com muita disponibilidade para servir as comunidades e isso é fundamental. Não basta ter pessoas a encabeçar listas que depois não têm tempo para se dedicar aos problemas das freguesias muitas vezes por ocupações profissionais”.

Só com a entrega das listas no Tribunal é que passou a ser conhecido o candidato à Assembleia de Freguesia de S. Pedro Fins. Mário Gouveia assume que existem sempre dificuldades em encontrar candidatos “com a exigência e o rigor que nós pretendemos”. Reitera que é fácil encontrar pessoas para encabeçar listas, o difícil “é encontrar pessoas que tenham aquilo que nós consideramos essencial, competência, responsabilidade e disponibilidade e em S. Pedro Fins encontrar essa figura não foi fácil e o PS, enquanto não encontrou o perfil ideal para representar os interesses do PS e foi só isso que aconteceu”, explica.

Quanto aos acontecimentos relacionados com Gueifães, Mário Gouveia adianta que enquanto presidente da concelhia socialista sempre entendeu que Alberto Monteiro era quem melhor defendia os interesses do PS. “Sempre foi para mim claro que o PS tinha que apresentar a candidatura de Alberto Monteiro, seguindo as orientações que tinha sido apresentadas pelo secretário-geral logo no início do processo eleitoral autárquico, em que os presidentes de junta e de câmara iriam ser todos reconduzidos e, portanto, Alberto Monteiro não podia ser uma excepção. O Partido tem que estar acima dos interesses pessoais e foi essa a decisão que tomamos”.

Isabel Fernandes Moreira