Membros da JP correm para as eleições

A Juventude Popular (JP) apresentou, na passada terça-feira, os candidatos às duas eleições que se aproximam. Na sede da Maia do CDS-PP, foram anunciados os membros da JP que pertencem às listas autárquicas do partido no concelho. Antes da eleição para os órgãos autárquicos há outra disputa eleitoral, as legislativas. E a concorrer a um lugar na Assembleia da República pelo círculo do Porto do CDS-PP, liderado por José Ribeiro e Castro, está o líder da concelhia nacional do JP, Michael Seufert, que também esteve presente na Maia. O responsável nacional pela JP surge no quarto lugar na lista do Porto para as próximas legislativas.

 

Apesar de considerar que o CDS-PP obteve resultados atípicos em 2005, Michael Seufert acredita que o quarto lugar do círculo do Porto volta a ser elegível, à semelhança do que aconteceu em 2005, mesmo com o resultado "mau" das anteriores legislativas. As perspectivas para as eleições do dia 27 de Setembro são as melhores. "Estamos todos os dias na rua, falamos com os nossos eleitores e no contacto com as pessoas sabemos que vamos ter um óptimo resultado nas próximas eleições", considera o líder nacional da JP.

Uma das prioridades do CDS-PP para as próximas legislativas é impedir a maioria absoluta do PS. Michael Seufert adianta que o CDS-PP "é o partido que, em muitos distritos, tira deputados ao PS". Acrescenta ainda que "o CDS é o partido ‘charneira’ que pode tirar muitos votos ao PS e ao PSD". Para o líder da JP, "as maiorias absolutas só servem para alimentar as arrogâncias, aumentar a falta de credibilidade e a falta de comunicação com os portugueses".

A acrescentar à lista de prioridades dos populares, está a tentativa de impedimento da formação do bloco central e também travar a subida de resultados eleitorais por parte de partidos mais à esquerda. Em relação ao bloco central, Michael Seufert considera que "o PS e o PSD dividiriam, assim, os lugares que estão a saque na administração pública, nos lugares de nomeação política e na Assembleia da República". O líder da JP falou ainda de outro dos objectivos dos centristas, que passa por "impedir que a extrema-esquerda suba os resultados". É do entendimento de Michael Seufert que "os resultados das últimas europeias puseram o país em alerta, com o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista a conseguir, juntos, cerca de 20%". Resultado que, a verificar-se nas próximas legislativas, se revelaria "catastrófico para o país". Adianta ainda que "a ascensão de qualquer um desses dois partidos levaria a uma retracção económica muito grave, fazendo com que o país entrasse numa crise muito profunda".

Outras apostas do CDS-PP passam pela segurança, pelo apoio às pequenas e médias empresas e melhorias na educação. Michael Seufert considera ainda que a mensagem do partido já está a passar, "numa campanha contida, porque não é preciso esbanjar dinheiro para transmitir o que queremos dizer aos portugueses", remata, em tom de crítica à verba anunciada pelas duas principais forças políticas nacionais para suportar as campanhas referentes às duas eleições que se aproximam.