Fim de férias no Sobreiro

A Santa Casa Misericórdia da Maia, em conjunto com as Juntas de Freguesia de Vermoim e da Maia, organizou, durante todo o mês de Agosto, um campo de férias para as crianças mais desfavorecidas destas freguesias, no Centro Comunitário de Vermoim / Sobreiro.

Esta iniciativa resultou da necessidade sentida no Concelho Social Inter Freguesias (CSIF) de dar resposta às crianças oriundas de famílias mais desfavorecidas das duas freguesias e realizou-se pelo segundo ano consecutivo. Na edição deste ano participaram cerca de 70 crianças da Maia e Vermoim e 15 utentes regulares do Centro de Tempos Livres, que tiveram a oportunidade de ocupar o tempo livre de Verão com actividades de expressão plástica, expressão dramática, expressão musical, dança, actividades desportivas, visitas de estudo ao Jardim Zoológico, à Biblioteca Municipal da Maia e dois dias de praia.

O responsável pelo Centro Comunitário e funcionário da Santa Casa da Misericórdia, Mário Figueiredo, diz que “é fácil trabalhar com estas crianças porque estão sempre muito entusiasmadas com estas actividades”. E faz um balanço positivo do projecto: “O balanço é muito bom. Os meninos, se pudessem continuar aqui, continuavam. Não é possível devido a estruturas que têm que ser mantidas, mas estamos já pensar em fazer campos de férias no Natal e na Páscoa. As crianças adquiriram muitas competências que, inclusivamente, no início não sabíamos se iríamos ser capazes de lhas dar, como competências sociais, pessoais, de saber estar e ser, que no findo é aquilo que nos motiva. Outras do foro musical, dramático, de leitura, também adquiriram claramente, como se pode ver através dos trabalhos apresentados”.

No dia 31 de Agosto, a assinalar o final deste campo de férias teve lugar uma festa de despedida para todos participantes neste campo de férias e seus familiares. Mário Figueiredo diz que é uma oportunidade para ver o feedback dos pais destas crianças: “Os pais não costumam vir cá. Só vêm deixar os meninos aqui e vão embora. Fizemos um convite para irem à Junta de Freguesia de Vermoim para verem as fotografias que fizemos ao longo do mês e para tomar um cafezinho. Aí vamos conversar um pouco e tentar perceber que ‘feedback’ tiveram em casa, para nós também fazermos uma avaliação mais clara”.

Mário Figueiredo deixou também um desejo: “Espero que esta iniciativa continue. Os presidentes de junta já disseram que sim, e, para bem destas crianças que não têm alternativas, espero mesmo que continue”, concluiu.

André Cordeiro