Células estaminais em debate na Secundária do Castelo

Os alunos do 12º B da Escola Secundária do Castelo da Maia organizaram, na passada terça-feira, um colóquio subordinado ao tema “Células Estaminais: O Futuro passa por elas”.

 

Foi o nome que os alunos desta escola maiata escolheram para este colóquio. E é também a palavra "futuro" que a comunidade científica faz andar de mãos dadas com as células estaminais. Afinal, o que são estas células? Encontram-se nos embriões humanos. A tecnologia recente permite conservá-las e assim curar, mais tardiamente, lesões no corpo humano. No seio da comunidade científica, acredita-se que estas células possam vir a tratar doenças como o Parkinson e o Alzheimer. No entanto, ainda existem reservas em relação a estas práticas, uma vez que implicam a remoção das células em embriões. A actividade gera conflitos éticos e a legislação varia de país para país. Na Alemanha, por exemplo, é ilegal proceder à remoção de células estaminais de embriões humanos.

Estas e outras questões estiveram em discussão no debate organizado pelos alunos do 12ºB da Escola Secundária do Castelo da Maia, actividade que surgiu no âmbito de uma relação interdisciplinar entre a Biologia e a Psicologia. As docentes responsáveis pelo colóquio acreditam que é importante que os alunos percebam que as disciplinas são processos inter-relacionais.

O debate de temas da actualidade é o principal objectivo para a realização de colóquios, como afirma a professora de psicologia da Secundária do Castelo, Marinela Guimarães. "Isto serve para perceber que as escolas também servem para esclarecer questões do nosso quotidiano", acrescenta. Ainda de acordo com a docente, este foi o "momento ideal" para o colóquio interdisciplinar, uma vez que os alunos "em Biologia estão a estudar esta matéria das células estaminais e em Psicologia está a ser dada a interacção das dimensões biológica, social e cultural na evolução do ser humano". "A escola é formada por pessoas, e as pessoas aprendem umas com as outras", conclui.