,

Água, saneamento e resíduos sólidos urbanos não aumentam em 2010

Os maiatos não vão pagar mais pelos serviços de abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos.

A decisão de não aumentar as tarifas foi aprovada pela Câmara Municipal da Maia, em reunião do executivo, justificada pela difícil situação económica em que se encontra o país. Os conselhos de administração dos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento da Maia e Maiambiente tinham aprovado o aumento das tarifas, mas Bragança Fernandes, presidente da Câmara Municipal da Maia, considerou que esta não era a melhor altura para o fazer. E por isso apresentou uma proposta para que fossem mantidos os valores praticados no último ano (ver valores a aplicar).

“Acho que estamos numa situação de crise. A crise social é mais grave do que as pessoas pensam. A Maiambiente sendo deficitária – a câmara é que tem de transferir dinheiro para a manter, porque não tem receitas – decidimos não passar este défice para os munícipes. Não queremos penalizar mais os maiatos que já têm muitos impostos para pagar”, explicou o edil. A proposta de Bragança Fernandes foi aprovada por unanimidade em reunião do executivo.

Assim sendo, em 2010 a autarquia irá manter os valores praticados em 2009. Por exemplo, um cliente doméstico pagará 0,94 euros pelo consumo de água no escalão médio de 6 a 15 m3, e 0,43 € por m3 de taxa de saneamento. Relativamente às tarifas de resíduos sólidos urbanos, o mesmo cliente pagará 1,50€ na componente fixa, e 0,50€ por m3 na componente variável. No que diz respeito ao comércio e indústria, o valor a pagar pelo consumo de água dos 0 aos 50 m3 será de 1,83€ e de 0,85€ por m3 de taxa de saneamento, sendo os valores referentes à tarifa dos resíduos sólidos urbanos de 9,08€ na componente fixa e de 0,59€ por m3 na componente variável.

Fernanda Alves