“Há Porco no Parque”, a partir de hoje, em Vermoim

O Parque de Estacionamento de Vermoim recebe, este fim-de-semana, a quinta edição do Festival Gastronómico “Há Porco no Parque”. A iniciativa da Junta de Freguesia de Vermoim está inserida nas Festas de S. Brás, padroeiro da freguesia. É assim há quatro edições, que de ano para ano têm vindo a registar um cada vez maior número de participantes e visitantes. Razões que levam Aloísio Nogueira, presidente da junta, a fazer um balanço positivo deste festival gastronómico. “Este evento tem sido um sucesso em termos de adesão popular e, por isso, é que tem crescido todos os anos, em termos de área ocupada, expositores e participantes neste evento”. No ano passado, o número de visitantes atingiu um novo recorde. “Contabilizamos perto de 7500 pessoas”, adiantou Aloísio Nogueira.

Na edição deste ano, e a pensar num novo recorde, o espaço que irá acolher o festival cresceu de 600 m2 para 900 m2. O número de expositores também. Na mega-tenda vão estar 20 tasquinhas, mais quatro do que na edição anterior. “Há um crescimento sustentado deste evento, que se justifica pelo facto de sentirmos que as pessoas que nos visitam gostam e querem voltar. Por isso é que todos os anos preocupamos-nos em melhorar as condições de acolhimento”, sublinha o autarca.

A abertura oficial do festival está marcada para as 18h00 desta sexta-feira. A noite será animada com fados, cantares ao desafio e karaoke.

No sábado e domingo, as tasquinhas abrem ao meio-dia. No sábado, a tarde será preenchida com jogos tradicionais e um torneio de leitões. A partir das 21h00, a animação do público estará a cargo de José Neves e Amigos, com cantares ao desafio. Na tarde de domingo, estão de volta os jogos tradicionais, e para a noite de encerramento os cantares ao desafio estarão a cargo de Augusto Canário e Amigos. Até à meia-noite, a animação está garantida.

Reavivar tradições perdidas

Cumprindo a tradição, haverá porco no espeto. O objectivo é lembrar outros tempos, os da matança do porco. Esta era uma das tradições mais antigas das terras da Maia. Realizava-se nos meses mais frios do ano, ou seja, entre Novembro e Fevereiro. “A Maia sempre foi um concelho eminentemente rural durante muitos anos, e a agricultura de subsistência sempre teve um papel muito importante na economia local. E tinha muitas tradições ligadas à criação e matança do porco”, lembra Aloísio Nogueira. Tradição que se foi perdendo à medida que o município foi crescendo, em termos urbanísticos e demográficos. O festival pretende recuperar parte dessas tradições que ficaram no passado, e por outro lado, dar uma oportunidade aos novos habitantes de se envolverem nas actividades da freguesia.

Para além dos petiscos que têm por base a carne do porco, e dos doces tradicionais da região – para adoçar a boca, haverá ainda cantares ao desafio, música popular, jogos tradicionais e fado. Nos jogos tradicionais, destaque para o famoso torneio de leitões. Em competição estarão leitões que envergarão as camisolas dos três grandes clubes – FC Porto, SL Benfica e Sporting. “Uma corrida emocionante e que tem atraído muitos espectadores”, assegura Aloísio Nogueira.

Em paralelo ao festival, decorreu um concurso de máscaras nos infantários da freguesia, com tema livre. O desfile dos pequenos foliões está marcado para a tarde de sábado, de acordo com o presidente da Junta de Freguesia de Vermoim.

Fernanda Alves