Barca celebra o Senhor dos Passos

Cumprindo uma tradição secular, a Paróquia de Barca celebra o Senhor dos Passos. “É uma das melhores festas do concelho, nesta altura”, diz António Sá, um dos elementos da Confraria da Comissão Fabriqueira.

As comemorações religiosas começam este sábado, com a procissão das velas a partir das 21h30. A procissão, que junta centenas de pessoas, saí da Capela de Santa Cruz e termina na igreja de Barca. “A procissão leva o andor do Senhor, a banda de música e os acompanhantes que levam as velas”, conta António Sá.

No domingo, depois da Eucaristia das 07h45, sairá da igreja a procissão de Nossa Senhora do Encontro que terminará na Capela do Encontro. De tarde, pelas 16h30 acontece o ponto alto da celebração religiosa, com a procissão do Passos.

“Saí da igreja, vai até ao Largo do Gestalinho onde será celebrado o segundo encontro com um sermão pelo padre. Depois, a Nossa Senhora do Encontro saí da Capela e vai de encontro ao Senhor. Depois, o Miserere e segue o caminho do calvário até à Capela do Monte de Santa Cruz”, descreve António Sá.

Na semana seguinte, começam as celebrações da Semana Santa, com as Eucaristias e Bênção dos Ramos na igreja e capela.

Para o domingo de Páscoa, a visita Pascal deste ano será efectuada por nove grupos, em vez dos sete habituais. Este ano há uma maior participação de jovens tanto do sexo masculino como feminino. O que permitirá estar mais tempo em casa dos fiéis. “Estamos a contar que vamos demorar mais tempo em casa das pessoas, porque os jovens vão, talvez, dizer alguma coisa mais especial sobre a Ressurreição do Senhor”, adianta o membro da Confraria da Comissão Fabriqueira da Paróquia de Barca.

Desde a Idade Média até aos dias de hoje

A procissão do Senhor dos Passos é uma celebração religiosa que invoca Jesus Cristo no trajecto percorrido por ele desde a condenação à morte no pretório e até ao seu sepultamento, após a sua crucificação no calvário.

A história desta devoção remonta à Idade Média, quando os cruzados visitavam os locais sagrados de Jerusalém por onde andou Jesus a caminho do martírio, e quiseram depois reproduzir espiritualmente este caminho quando voltaram à Europa sob forma de dramas sacros e procissões, ciclos de meditação, ou estabelecendo capelas especiais nos templos.

No século XVI foram fixados 14 momentos principais deste trajecto, embora o número tenha variado na história do catolicismo de sete a 39. Estes pontos principais são chamados de “estações” ou “passos” da Paixão de Cristo ao longo da Via-sacra ou Via Crucis.

São eles:

Jesus é condenado à morte

Jesus carrega a cruz às costas

Jesus cai pela primeira vez

Jesus encontra a mãe

Simão Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz

Jesus cai pela segunda vez

Jesus encontra as mulheres de Jerusalém

Terceira queda de Jesus

Jesus é despojado de suas vestes

Jesus é pregado na cruz

Morte de Jesus na cruz

Descida do corpo de Jesus da cruz

Sepultamento de Jesus

Esta invocação tornou-se muito popular em alguns países, como Portugal e Brasil. As celebrações acontecem na semana Santa ou nos dias que a antecedem.

Fernanda Alves