Metro do Porto em fase de mudança


O consórcio Via Porto, que ganhou o concurso para a subconcessão do Metro do Porto, deve iniciar hoje a subconcessão da operação e manutenção da rede do metropolitano portuense.

O consórcio liderado pela Transdev, empresa responsável pela operação nos últimos cinco anos, exigiu, esta semana, a caducidade da adjudicação da subconcessão ao consórcio Via Porto, por alegada “falta de experiência profissional” do director de manutenção de instalações fixas. Numa carta enviada à empresa do Metro, a Transdev assinala que exige que “seja imediatamente determinada a caducidade da adjudicação e do contrato de subconcessão assinado a 26 de Fevereiro com base no que concerne à falta de experiência profissional em direcção de manutenção”. Em causa estará o responsável indicado pelo Via Porto para a posição de director de manutenção de instalações fixas.

Contactado pela Lusa, o Via Porto, liderado pela Barraqueiro, acrescentou que “o consórcio está tranquilo face a esta situação”, uma vez que “os documentos estão completamente adequados ao exigido”, rejeitando “qualquer irregularidade”.

A Transdev apresentou, no Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto, uma providência cautelar pedindo a suspensão do concurso por “estar enfermado de várias irregularidades”, e até que seja julgada a acção principal que vai apresentar. A Metro do Porto contestou a providência cautelar.