Novo passo do Clube Unesco da Maia (vídeo)


O Clube Unesco da Maia ocupa as antigas instalações do Turismo da Maia, no Parque das Fontes. Mas só no passado sábado foi celebrado o contrato de comodato entre a Junta de Freguesia da Maia e o Clube Unesco da Maia. A cerimónia contou com a presença do presidente da Junta da Maia, Carlos Teixeira, e o presidente do Clube Unesco da Maia, Raul da Cunha e Silva.

É um novo passo na vida do clube maiato, que agora se fixa em permanência no Parque das Fontes, mas que já tem em vista “voos” maiores. Raul da Cunha e Silva começou por recordar a origem do Clube Unesco da Maia, que Carlos Teixeira apoiou “desde o início, no final de Agosto do ano passado”.

A Junta de Freguesia da Maia disponibilizou o espaço para o funcionamento do clube, mas não só. “Quanto trabalho de secretaria, quantas fotocópias nós temos usado aqui com a sua oferta. Usamos e vamos continuar a usar”, revela, confiante, Raul da Cunha e Silva, referindo-se ao forte apoio da Junta de Freguesia da Maia e de Carlos Teixeira. “Nome que muito contribuiu para que o Clube Unesco da Maia fosse uma realidade”, diz Raul da Cunha e Silva em tom de homenagem a Carlos Teixeira.

O presidente da Junta da Maia, Carlos Teixeira, agradeceu e retribuiu. Para o decano autarca, a assinatura do contrato de comodato mais não é do que “a obrigação” da junta para “apoiar as colectividades e instituições da freguesia”. Para Carlos Teixeira, “este é apenas o primeiro de muitos protocolos que vamos assinar com o Clube Unesco da Maia”. O presidente da junta da Maia relembrou a “forma inteligente” de Raul da Cunha e Silva na “criação” do Clube Unesco da Maia, depois do afastamento da direcção do Instituto Cultural da Maia. Considera Carlos Teixeira que a colaboração entre a junta e o Clube Unesco vai “ser produtiva” e assentar nas áreas do “ambiente, da cultura, da acção social, entre outras”.

Pedro Póvoas