A Roménia chegou à Maia


Da Roménia para Portugal. Ou melhor, da Scoala Cu Clasele I-VIII Nº12 de Buzau para a Escola Secundária do Castelo da Maia. Foi de onde vieram 21 estudantes e novo professores. Chegaram na passada segunda-feira e partem na quinta-feira, dia 27 deste mês. A visita desta comitiva romena à Maia está integrada no programa Comenius, que decorre desde Setembro de 2009 e termina a Julho do próximo ano. Tem como objectivo contribuir para a responsabilização dos alunos para questões cívicas e também para partilha de diferentes saberes e culturas.

São esses os principais objectivos do programa Comenius, mas esta visita tem um carácter especial. Em “cima da mesa” está agora o grau de literacia digital dos encarregados de educação e outros familiares. A partir da Maia já tinham sido feitos contactos com a Roménia para averiguar com que facilidade (ou falta dela) os mais velhos lidam com a internet. Nesta visita à Maia, alunos e professores, portugueses e romenos, vão acertar todos os pormenores para um “plano de formação para pais”, a ser realizada em simultâneo na Maia e em Buzau, a cidade romena de onde é originária a comitiva estrangeira em visita a terras do Lidador. Por cá, os alunos ficam em casa de outros alunos para vivenciar, de modo presencial, como é a vida nos lares portugueses e o grau de facilidade com que os pais maiatos lidam com a internet. Chegaram na segunda-feira depois de uma longa viagem, mas para já, “está tudo a correr muito bem”. Quem o garante é a coordenadora do projecto Comenius em terras da Maia, Helena Fernandes, apesar de existirem algumas barreiras linguísticas. “Nem os nossos alunos nem os romenos são bons a inglês e isso gera algumas confusões”. Contrariedades à parte, “tudo vai correndo bem”, revela a docente.

Até 27 de Maio, alunos portugueses e romenos vão acertar pormenores para colocar em prática o projecto IDEA, para medir a infoexclusão ou infoexclusão dos pais maiatos. Em comunicado, a Escola Secundária do Castelo adianta ainda que “esta é uma excelente oportunidade de criar amigos, conhecer uma cultura diferente e permitir aos filhos a comunicação numa língua estrangeira”.

Pedro Póvoas