Maia debateu instrumentos de combate à pobreza

“O Emprego como Instrumento de Combate à Pobreza”. Foi este o tema escolhido pelo pelouro da Acção Social da Câmara Municipal da Maia para realizar um seminário, que decorreu no âmbito da programação de mais uma mostra social, que se realizou entre os dias 20 e 22 de Maio.

Na plateia estiveram cerca de 200 pessoas, na sua maioria responsáveis e técnicos de Instituições Particulares de Solidariedade Social, que assistiram às intervenção de um painel de convidados composto pelo coordenador Nacional do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social, Edmundo Martinho; do sub delegado da Região Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional, José Manuel Castro; do presidente do Conselho Económico e Social, Silva Peneda e do investigador e consultor nas áreas da Pobreza, Exclusão e Políticas Sociais, Sérgio Aires.

De acordo com a vereadora da Acção Social da Câmara Municipal da Maia, Ana Miguel Vieira de Carvalho, a primeira conclusão que saiu este seminário prende-se com a necessidade de reforçar e desenvolver políticas de proximidade, bem como trabalhar para o aumento das qualificações. “Realmente percebemos que as baixas qualificações estão muito associadas ao desemprego e que o emprego é o instrumento mais poderoso no combate à pobreza”, conta a responsável.
Ana Miguel reforça ainda que é também necessário promover a empregabilidade dos activos, no sentido de “as pessoas perceberem que têm que desenvolver o seu caminho e que são responsáveis pela sua própria qualificação para manterem o próprio emprego”.

O seminário surgiu inserido na Mostra Social da Maia, que decorreu entre quinta-feira da semana passada e sábado, este ano subordinada ao tema “2010 Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social”. De acordo com a vereadora da Acção Social o resultado da Mostra Social desta ano é “bastante positivo”.
Ao longo dos três dias, a edilidade maiata teve a oportunidade de mostrar o trabalho de proximidade que realiza através dos Gabinetes de Atendimento Integrado Local, os Gabinetes de Inserção Profissional e mostrar ainda o trabalho do projecto Novos Laços e, numa parceira com o pelouro da Educação, mostrar o que é feito no âmbito da acção social escolar.

E como surge em parceria com o pelouro da Juventude, integrando a Feira das Oportunidades, serviu ainda para “sensibilizar os mas jovens para estas questões sociais que também penso que é importante e que faz todo o sentido”, justifica Ana Miguel Vieira de Carvalho.
E por ser o Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social entendeu que deveriam “reforçar ainda mais” a proximidade com a população, mostrando às pessoas e às famílias que estão a passar por maiores dificuldades que estão presentes e “atentos a esta problemática, tentando colmatar ou tentando diminuir esta questão da pobreza”, sublinha.

Embora não tenha números globais, a vereadora da Acção Social tem a noção que o projecto Novos Laços tem vindo a ser cada vez mais procurado. Sobretudo “temos notado uma nova realidade que tem a ver com famílias que recorreram ao apoio bancário para aquisição de casa e que agora pelas dificuldades que passam de desemprego, acabam por ver a sua situação ainda mais complicada”, explica.

Ana Miguel avisa que o papel dos Gabinetes de Atendimento Integrado Local têm como missão olhar para a família de uma forma global, fazendo a análise da sua situação social na sua globalidade, “vendo não só a questão económica, não só a questão do desemprego, mas também as qualificações”. Depois disso, “é definido o tipo de ajuda que é possível prestar”.

Isabel Fernandes Moreira