Paulo Moreira é bicampeão regional de Pesca Submarina

O atleta da Juvemaia, Paulo Moreira, repetiu o feito do ano passado e venceu o Campeonato Regional Norte de Pesca Submarina, que decorreu no passado fim-de-semana, entre o porto de Leixões e a marina da Póvoa de Varzim.
Nesta 2ª edição do evento participaram 19 concorrentes em representação das equipas da Associação Barcelense, Clube Naval da Nazaré, Galasub A e B, GDC Adm. Porto de Sines, Juvemaia e Marina Yacht Clube.

Em representação da formação maiata estiveram Ana Maia, Hélder Silveira, Jorge Torres, Márcio Santos, Paulo Moreira, Pedro Magalhães e Rui Torres.
A Juvemaia venceu ambas as competições, tanto a nível colectivo como a nível individual. Paulo Torres venceu a prova individual com 52 pontos, seguido do também maiato Rui Torres com 48 e de Miguel Aires, do Clube Naval da Nazaré, com 38.
No que diz respeito aos restantes competidores maiatos, Jorge Torres foi 6º, Pedro Magalhães foi 9º, Hélder Silveira foi 12º, Márcio Santos foi 17º e Ana Torres terminou na 19ª e última posição da classificação.

No plano colectivo, a Juvemaia também venceu com 129 pontos, em segundo ficou o Marina Yacht Clube com 60 e em terceiro terminou o GDC Adm. Porto de Sines com 49 pontos acumulados.
No primeiro dia de prova, o peixe recolhido foi doado à Santa Casa da Misericórdia da Maia, enquanto no segundo dia o pescado foi cedido à Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim.

No final da prova o responsável da Juvemaia para a Pesca Submarina, José António Moreira, estava satisfeito com a expansão da modalidade: “A Pesca Submarina é uma modalidade com elevado número de participantes em Portugal, sendo um tipo de pesca extremamente selectiva e que apresenta um menor impacto no meio marinho. Aliado a uma prática desportiva sã, encontra-se em franca expansão a nível competitivo”, afirmou o responsável da Juvemaia.
Sobre a prestação da formação maiata, José António Moreira disse que “ a Juvemaia continua no topo das classificações a disputar primeiros lugares com as potências da modalidade”.

André Cordeiro