Deputados do Bloco de Esquerda contra portagens nas SCUT

Os deputados metropolitanos do Bloco de Esquerda defendem a continuidade das auto-estradas Sem Custos para o Utilizador (SCUT) no Norte e no resto do país. A posição surge na sequência da decisão tomada na última reunião da Junta Metropolitana do Porto (JMP), a propósito da intenção do Governo de avançar com as portagens nas SCUT do Norte Litoral, Circular Exterior do Porto e Costa de Prata (A28, A29, A41/42). Em nome dos autarcas que constituem a JMP, o presidente daquele órgão, Rui Rio, afirmou que só aceitariam a medida do Governo se todas as SCUT do país fossem portajadas.

Um argumento “falacioso”, refere o Bloco de Esquerda em comunicado, acusando os autarcas da Grande Área Metropolitana do Porto de, com esta posição, quererem “manter-se de bem com os seus partidos (PS e PSD), que defendem a introdução de portagens nas SCUT, e ao mesmo tempo passar uma imagem de defesa dos seus munícipes”. “A Junta Metropolitana do Porto decidiu entrar numa guerra mesquinha entre regiões e abandonou a defesa dos interesses das populações, dos munícipes, da indústria e do comércio dos vários municípios que serão afectados pela introdução de portagens nas SCUT”, lê-se no comunicado.

Os deputados metropolitanos do Bloco de Esquerda recusam de forma “peremptória” a introdução de portagens em qualquer SCUT do país. “As SCUT foram já construídas de acordo com um determinado modelo de financiamento e tendo em conta características específicas das zonas em que foram construídas”, argumentam. Daí considerarem que, “não há qualquer justificação séria para passarem a ser portajadas”. Dizem ainda que, “num momento de crise, em que o poder de compra das famílias diminuiu e em que a economia necessita de alavancas, a introdução destas portagens representa mais uma medida prejudicial”.

A introdução de portagens nas SCUT, para o Bloco de Esquerda, trará graves consequências para a economia das regiões, sobretudo para as mais pobres, e alertam ainda para o agravamento dos custos de produção e de transportes para as empresas abrangidas por estas auto-estradas, caso passem a ser cobradas portagens. A introdução de portagens nas SCUT é, para o Bloco de Esquerda, uma medida “inadmissível”.

FA