Clube Unesco da Maia recebe visita do presidente da Comissão Nacional (vídeo)

O presidente da Comissão Nacional da Unesco, Fernando Andresen Guimarães, esteve recentemente de visita ao Clube Unesco da Maia – Cuma. Uma forma de se “desculpar”pelo facto de não ter estado presente na altura da assinatura da formalização do clube, por motivos de doença. Fernando Andresen Guimarães veio acompanhado pela secretária executiva da Comissão Nacional da UNESCO, Manuela Galhardo, e pela responsável pela área da Comunicação e Informação e dos Centros e Clubes UNESCO, Anna-Paula Ormeche.

Durante pouco mais de uma hora reuniram com a direcção do clube, presidido por Raul da Cunha e Silva, e ficaram a par dos projectos previstos a médio prazo. Entre eles, está a aposta no património imaterial das Terras da Maia. Em curso está já um trabalho de pesquisa sobre os moinhos. “Acho que estamos no bom caminho porque temos o património da água com mais de 60 moinhos”, referiu o presidente do Clube da Maia. Estão numa fase de investigação, mas o objectivo passa pela publicação da obra final. Ainda no âmbito do património imaterial, os jogos tradicionais serão objecto de estudo por parte do Cuma.
Outra das actividades programadas é a participação nas comemorações do centenário da República, com uma conferência marcada para 22 de Outubro, que vai contar com a presença de vários académicos das Universidades do Porto e do Minho.

No final deste encontro, o presidente da Comissão Nacional da Unesco mostrava-se satisfeito com a estrutura maiata. Em primeiro lugar com a localização da sede do clube. “Deve ser um gosto trabalhar aqui, com esta paisagem, com estes jardins e estes lagos”. Mas Fernando Andresen Guimarães ficou impressionado com o interesse de dedicação das pessoas que trabalham no clube. “Isto é um programa muito interessante e que eu acho que vai ser muito significativo para todas as pessoas aqui vivem”, afirmou.
Acrescentou ainda que considera que esta é uma forma de juntar interesses e voluntarismos diferentes, o que se enquadra na própria Unesco. “O programa da Unesco sobre praticamente tudo e se posso dizer alguma coisas ás pessoas que estão interessadas é que se juntem a este clube, que vai ser um grande sucesso”, apelou.

A Unesco já possui 11 clubes em Portugal e estão quatro em fase de candidatura. Clubes completamente diferentes uns dos outros, que se ocupam de áreas de interesse também diferentes, o que afirmou ser “enriquecedor”. Por isso, durante a reunião, o presidente da comissão nacional apelou a um intercâmbio entre os diferentes clubes para que haja uma troca de experiências. “Existem desde clubes de jovens, a clubes ligados à ciência, ao património, aos direitos humanos que é uma das áreas fundamentais e todos temos a aprender uns com os outros e só há vantagens”, justificou.

Isabel Fernandes Moreira