Ecopontos para todos

A LIPOR, em Baguim do Monte, foi palco da assinatura de um protocolo que vai trazer às ruas ecopontos diferentes dos habituais. É uma iniciativa inédita em todo o país. Estes novos equipamentos vão destinar-se a pessoas com deficiência ou incapacidade física. Depois da assinatura deste protocolo, vai ser possível facilitar a participação numa cidadania plena às pessoas com deficiência ou incapacidade, de acordo com a Lipor.

Os efeitos práticos do protocolo não se vão fazer sentir de imediato, de acordo com o administrador da Lipor, Fernando Leite. “Ainda não há uma data. O que fizemos foi celebrar um protocolo para o desenvolvimento de um tipo de contentor e também uma possível prestação de serviços para facilitar às pessoas com deficiência a reciclagem dos resíduos”. Dada a complexidade do projecto, Fernando Leite não revela quando os novos ecopontos estarão na rua, mas confessa que ainda durante este ano os planos dos novos equipamentos vão ser uma realidade. “O estudo sobre o contentor é muito capaz de estar desenvolvido”, diz o administrador da Lipor.

“Quando colocarmos um ecoponto na via pública, esse ecoponto estará acessível a qualquer pessoa”. É esta a ideia-chave do protocolo assinado na manhã de sexta-feira, revelada por Fernando Leite. Para que isso seja possível, a empresa também está a trabalhar em colaboração com a Ordem dos Arquitectos. Na calha está a criação de uma norma, comum a várias autarquias, que permita uniformizar a colocação de ecopontos acessíveis a todos. O projecto é complexo, e Fernando Leite exemplifica: “Um invisual não tem uma marcação no ecoponto para saber qual a cor do recipiente. Tudo isto estamos a abordar ao nível de todas as entidades”, explica o administrador da Lipor.
A assinatura do protocolo contou com a presença da Secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação, Idália Moniz.

Pedro Póvoas

Ler o protocolo:

Protocolo Equipamentos Amigos das Pessoas