,

Maia integra rede de Observatórios para a Literacia e Inclusão Digital

A Maia vai integrar a Rede de Observatórios para a Literacia e Inclusão Digital. O protocolo de cooperação entre a empresa municipal Academia das Artes da Maia e o CETAC.MEDIA da Universidade do Porto foi assinado no final de Julho. O concelho passa assim a integrar uma rede de dimensão ibérica que junta mais três municípios – Resende, Amarante e Sevilha, em Espanha.

Numa primeira fase, o projecto contou com a colaboração de alunos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, quer da licenciatura de Sociologia, quer de alunos de mestrado em Ciências da Comunicação, que realizaram questionários a famílias. Agora, alargou então o seu âmbito aos municípios.
Em primeiro lugar, a rede de observatórios para a Literacia e Inclusão Digital tem como objectivo monitorizar os usos sociais e educativos das tecnologias digitais nos municípios que integram a rede. Pretende também contribuir para o aprofundamento teórico e empírico sobre tipologias de uso dos media, quer em Portugal quer em Espanha; bem como conhecer os factores que beneficiam e limitam a literacia e inclusão digital, num âmbito local.

Outro dos objectivos passa por desenvolver projectos de investigação orientados para o conhecimento aprofundado da literacia e inclusão digital, em âmbito municipal, contribuir para o desenvolvimento da formação de agentes sociais e educativos, em particular, de autarcas, empresas de media, professores e pais para a literacia e inclusão digital e facilitar a criação de sinergias, em rede, entre os agentes envolvidos na produção, gestão, circulação e uso dos media digitais.

A rede de observatórios está vocacionada para elaborar diagnósticos e acompanhamentos do uso das TIC – Tecnologias da Informação e Comunicação, por parte dos cidadãos, fazer acompanhamento e formação para a cidadania no uso das TIC e elaborar relatórios anuais sobre o impacto social das políticas de TIC a nível municipal.

O observatório que vai ficar instalado na Maia vai contar com a coordenação científica do CETAC.MEDIA, um organismo baseado na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a quem compete assegurar o desenvolvimento de investigação orientada para o conhecimento aprofundado da literacia e inclusão digital, em âmbito municipal; a organização de actividades de formação na área da literacia e inclusão digital dirigida a públicos diversificados do Município, sempre que sejam identificadas fontes de financiamento para as referidas acções e contribuir para a definição de políticas municipais na área das novas tecnologias.

De acordo com o presidente do conselho de administração da Academia das Artes da Maia, Mário Nuno Neves, com a instalação deste Observatório, “o concelho passa a estar dotado de uma infra-estrutura de matriz científica, com plena capacidade para monitorizar, analisar e avaliar os impactos dos investimentos e da política que a Câmara Municipal da Maia tem desenvolvido no domínio da ampla difusão das tecnologias de informação e comunicação, vulgo TICs, quer no que respeita à implementação de uma rede física estendida a todo o território, como no que se refere à instalação de software e conteúdos”. Uma política, acrescenta o também vereador da Cultura da Câmara Municipal da Maia, que teve no projecto Maia Digital, o principal motor de expansão e desenvolvimento, “permitindo à comunidade, nos seus mais diversos sectores, escolar, empresarial, desportivo, associativo, social e cultural, usufruir actualmente de padrões tecnológicos de nível europeu”.

Mário Nuno Neves acredita que o OLID será um instrumento ao serviço dos organismos públicos, dos técnicos e decisores, “constituindo-se assim como mais uma relevante valia do nosso concelho, na medida em que poderemos aferir com maior eficiência a eficácia e assertividade das estratégias adoptadas nesta área” afirma.

Isabel Fernandes Moreira