PSP e GNR garantem segurança das habitações durante as férias de Verão

São 103 as habitações que se encontram sob a vigilância da Divisão Policial da Maia da Polícia de Segurança Pública (PSP). A maioria são habitações de carácter unifamiliar (72). A divisão tem a seu cargo as esquadras da Maia, Águas Santas, Valongo e Ermesinde.
Diariamente, a vigilância às habitações envolve 11 elementos, em média. Até agora, não foi registada qualquer ocorrência relacionada com as habitações cobertas pelo programa. O mesmo acontece ao nível do comando.

De acordo com a Sub-Intendente Maria dos Anjos, são cada vez mais as pessoas que recorrem ao programa Férias Seguras. “As pessoas estão cada vez mais informadas sobre o programa. Houve por parte do comando, uma maior informação e difusão da informação, e as pessoas têm aderido”, sublinhou.
O programa tem como função vigiar e garantir a segurança das habitações, durante o período de ausência dos proprietários. A vigilância é feita durante o dia e noite, e até mais do que uma vez, “dependendo de vários factores, e dos meios disponíveis”, adiantou aquela responsável.

Com patrulhas móveis e apeadas, envolvendo agentes de todas as esquadras da Divisão Policial da Maia da PSP. Como estamos em época de férias escolares, os efectivos da Escola Segura da PSP e GNR, acabam também por serem integrados na operação de vigilância às residências inscritas na operação. No âmbito da GNR, a Chave Directa da operação Verão Seguro está especialmente vocacionada para a segurança das residências.

Neste âmbito, até esta semana, estavam inscritas 17 habitações no posto da GNR da Maia, 15 das quais, unifamiliares. Um número que, para já, fica abaixo das habitações que estiveram sob o controle do posto da Maia no Verão do ano passado – foram vigiadas 31 casas. Mas a operação ainda não terminou. Até 15 de Setembro, os interessados em aderir à Chave Directa durante as suas férias, podem passar pelo posto da GNR da Maia e fazer a inscrição. Basta apenas preencher um impresso e dar algumas informações.
Até agora, e tal como no ano passado, não foi registada qualquer ocorrência nas habitações abrangidas pelo programa, de acordo com o Sargento Santo, comandante interino da GNR da Maia. Refira-se que este posto é responsável pela segurança de 11 das 17 freguesias do município. “Esta operação passa por um patrulhamento descontínuo e a horas distintas. Sendo mais intenso esse patrulhamento, temos conseguido evitar a ocorrência de furtos”, referiu. O Sargento Santo salienta ainda o facto de as pessoas estarem cada vez mais sensibilizadas para a necessidade de adoptarem comportamentos que permitam evitar os assaltos, para além da adesão ao Chave Directa. “As pessoas são mais cuidadosas. Os louros não são só nossos. Nós entregamos aos cidadãos uma folha com algumas informações sobre os cuidados que devem ter. A adopção desta conduta por parte dos moradores tem também facilitado o nosso trabalho”, reconheceu o comandante interino da GNR da Maia.

“Uma das coisas que nós dizemos às pessoas é, terem alguém, um familiar ou vizinho, que possa deslocar-se à residência para retirar o correio, abrir as janelas durante o dia, pontualmente, acender uma luz durante a noite, para não dar indícios de que não está ninguém na habitação”, acrescentou o Sargento Santo. Elementos que o proprietário deve indicar no formulário de inscrição, para evitar situações eventualmente desagradáveis. A vigilância envolve sempre patrulhas de dois a três elementos.

Fernanda Alves

1 responder

Os comentários estão fechados.