CDU critica ausência de distribuição de cargos no executivo da junta de Águas Santas

O deputado da Assembleia de Freguesia de Águas Santas, Alberto Neto, eleito pela CDU, lamenta que ainda não tenham sido distribuídos “cargos e pelouros” no executivo da junta de freguesia, nove meses depois da eleição do social democrata, Carlos Vieira. A questão foi levantada pelo deputado, na primeira Assembleia de Freguesia, a 18 de Dezembro do ano passado. “Ele disse que seria ele a assumir todas as responsabilidades. Se há um aumento de cinco para sete no executivo, é porque há necessidade de haver mais trabalho junto das populações e distribuir pelouros, porque é uma freguesia que já tem alguma dimensão”, considera. “É ele que decide, que responde por tudo”, acrescenta o deputado comunista, que acusa ainda o presidente de “respostas evasivas”.

As críticas à forma de gestão do actual presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas constam de um comunicado enviado à imprensa, onde Alberto Neto acusa o executivo de não dar seguimento a deliberações aprovadas nas sessões da Assembleia de Freguesia. Designadamente, a publicação nos jornais locais da posição daquele órgão sobre a introdução de portagens nas SCUT e do falecimento do Prémio Nobel da Literatura, José Saramago. E ainda uma moção sobre os transportes da freguesia.

A moção apresentada pela CDU, foi aprovada por unanimidade, e deixava algumas ideias em matéria de transportes. Entre as quais, a constituição de uma Comissão de Acompanhamento, constituída por um membro de cada força política representada na Assembleia de Freguesia. “Em Maio perguntei se tinha avançado com a comissão e a resposta que me deu é que tinha sido tudo entregue ao presidente da câmara”, conta o deputado.
Estas e outras questões voltaram a ser levantadas pelo deputado da CDU, num requerimento enviado em Junho passado ao presidente da Assembleia de Freguesia, que por sua vez, encaminhou para Carlos Vieira, presidente da junta. As respostas chegaram, apesar de Alberto Neto as considerar pouco objectivas e esclarecedoras.

Para aquele membro da CDU, a Junta de Freguesia de Águas Santas está “estagnada no tempo”. “Uma junta com esta dimensão, deve dinamizar outras actividades. Por exemplo, a Feira do Desporto, acho que a junta podia fazer uma coisa dessas com as próprias colectividades, mas uma feira demonstrativa do desporto e não de comes e bebes”.
No requerimento, o deputado da CDU pergunta ainda se a junta de freguesia se pronunciou sobre o Plano de Pormenor da Quinta da Pícua, que esteve em discussão numa sessão pública que decorreu na Quinta da Caverneira.

Sessão sobre a qual, diz Alberto Neto, nenhum dos elementos da Assembleia de Freguesia foi convidado para assistir. Independentemente de ter sido ou não a junta a organizar, “deveria informar as forças políticas presentes na freguesia para estarem no debate público”, considera. Na resposta ao requerimento, Carlos Vieira questiona: “Tínhamos que nos pronunciar?”, acrescentando que a junta divulgou a consulta pública e que não teve conhecimento de qualquer oposição ao plano.
PRIMEIRA MÃO procurou uma reacção do presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas aos comentários do eleito pela CDU, mas Carlos Vieira, que se encontrava em férias, não se manifestou disponível. O autarca afirmou unicamente que irá responder a Alberto Neto no “lugar certo”, ou seja, na próxima sessão da Assembleia de Freguesia de Águas Santas.

Fernanda Alves