Pedras Rubras cede primeira derrota

À sétima jornada, o Pedras Rubras perdeu pela primeira vez esta época. Uma derrota injusta, com interferência da arbitragem, e que deixa os homens do aeroporto mais longe do líder Infesta. Pedrouços e Nogueirense também não conseguiram vencer.

O Pedras Rubras tinham tudo para somar a sexta vitória na Divisão de Honra da AF Porto. Vinha de triunfos consecutivos e jogava em casa frente a uma equipa mal classificada na tabela.

Os comandados de Caneco até dominaram todo o encontro, sempre mais perto da baliza do Barrosas, mas não conseguiram marcar. Os visitantes, numa das poucas oportunidades de contra-ataque, chegaram ao golo por Vítor Alves, aos 38 minutos.

O Pedras tentou reagir, mas esbarrou numa alegada má arbitragem do trio chefiado por Cândido Bessa, que mereceu críticas do clube da casa.

As outras formações maiatas não fizeram muito melhor. Na visita ao campo do líder Infesta, o Pedrouços saiu derrotado por 1-0. Os homens de Adriano Gomes fizeram um bom jogo, equilibrando sempre a contenda, mas uma desatenção defensiva permitiu a Paulinho, aos 70 minutos, fazer o golo da vitória e manter o registo perfeito dos matosinhenses.
Na deslocação ao terreno do Nun’Álvares, o Nogueirense não foi além de um empate (1-1). A partida foi sempre muito equilibrada e os golos de Loureiro (38), para os comandados de Fernando Gomes, e de Palheira (59), para os locais, puseram justiça no marcador.

Na classificação, o Pedras Rubras mantém o segundo lugar com 16 pontos, mas agora mais longe do líder invicto Infesta, que soma 21. Nogueirense e Pedrouços ocupam a 8ª e 10ª posição, respectivamente, somando nove pontos e integrando um grupo de equipas do qual também fazem parte o Salgueiros 08 (7º), o Nun’Álvares (9º) e o Avintes (11º).
Na oitava jornada da Divisão de Honra, que se realiza na tarde de domingo, o Pedras Rubras tem um difícil deslocação ao terreno do Custóias, o Nogueirense recebe o Ataense e o Pedrouços também joga em casa frente ao Vilarinho.

Folgosa regressa às vitórias

Nos escalões mais baixos da AF Porto, só o Folgosa e o Gondim venceram. Na recepção ao Caíde Rei, o Folgosa queria regressar aos triunfos que já lhe valeram a liderança da Série 2 da 1ª Divisão. Apesar do esforço dos visitantes, os maiatos foram superiores e com um bis de Guedes (2 e 35) ganharam por 2-1.

Na Série 1, as duas formações maiatas não foram além de empates. O Maia Lidador recebeu o Gulpilhares e, apesar do domínio no encontro, não conseguiu melhor que um empate sem golos.

Já o Castelo foi até Campanhã defrontar o Desportivo Portugal. O jogo não teve grandes motivos de interesse, e nenhuma das formações conseguiu desfazer o nulo que se manteve até final.

Nas classificações, o Folgosa é agora quinto na Série 2, com os mesmos 15 pontos de Águias de Eriz (4º) e Rio Moinhos (6º), e a quatro pontos do líder Leões de Citânia. Na Série 1 quem comanda é o Canidelo com 23 pontos, o Maia Lidador é 10º com 11 pontos e o Castelo é 12º com apenas nove.

Na 10ª jornada, a realizar na tarde de domingo, os homens do cavaleiro visitam o terreno do Foz, o Castelo da Maia joga em casa frente ao S. Pedro de Rates e o Folgosa desloca-se a casa do vizinho Ermesinde.

Na Série 1 da 2ª Divisão só o Gondim tem razões para sorrir. Os comandados de Neca Espanhol foram ao campo do Pasteleira vencer por claros 3-0. O Inter Milheirós a jogar em casa não conseguiu dar consequência aos bons resultados e saiu derrotado pelo Boavista por 2-0. Já o Águas Santas continua em maré de maus resultados. Os aquissantenses deslocaram-se ao terreno do Atlético do Vilar e saíram derrotados por 3-0, somando a sétima derrota da época.
Na classificação, liderada por FC Pedroso e Guilhabreu, com 18 pontos, o Gondim subiu ao 7º lugar com os mesmos 11 pontos de Vila FC (8º) e do Inter Milheirós (9º). o Águas Santas continua na última posição com apenas 3 pontos.
Na nona jornada, também agendada para a tarde de domingo, o Inter Milheirós visita o terreno do Lusitanos, o Gondim recebe o Torrão e o Águas Santas também regressa a casa para defrontar o Atlético Rio Tinto.

André Cordeiro