Clube UNESCO da Maia comemorou os 100 anos da República

O Clube Unesco da Maia assinalou, na passada sexta-feira, o centenário da República com a realização de um seminário, no pequeno auditório do Fórum da Maia.
Um dos oradores foi o vereador da cultura da Câmara Municipal da Maia, Mário Nuno Neves. “A importância de se celebrar a implantação da República” foi o tema abordado pelo vereador, que registou as várias atitudes que se podem tomar em relação à República por ela ter, em parte, “desestruturado a sociedade portuguesa vigente. Apesar de tudo, ela defendeu um sistema que a Monarquia não consegue: a igualdade de nascimento de todos os cidadãos”.

“A Heróica Vila de Mirandela – Os combates na defesa da República e o contributo dos voluntários republicanos de 1919”, foi outro dos temas em debate neste seminário. Teve como oradora, Lurdes da Cunha e Silva, Mestre em História Contemporânea, que versou a designada “Monarquia do Norte” e a contribuição da então Vila de Mirandela na vitória da República sobre as forças monárquicas, em 1919.

Outra das conferencistas foi Isabel Nobre Vargues da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra que abordou “A Mulher na República”. Realçou o tema da igualdade, evocou figuras femininas republicanas, como Carolina Michaelis, a escritora Ana de Castro Osório, entre outras precursoras da igualdade de género.
Maria de Fátima Marinho, directora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto teve a seu cargo “A Implantação da República e as suas Representações na Literatura Portuguesa da pós-modernidade”.

Henrique Manuel Pereira, Professor da Universidade Católica do Porto abordou o tema “Guerra Junqueiro ‘O Republicano’: o pensador de um novo regime político na passagem do Século”. O orador desenvolveu vários aspectos da sua personalidade, recordando que “segundo uns era ateu, segundo outros anticatólico, mas era republicano e grande pensador humanista, que se propôs defender a igreja perante a legislação de Afonso Costa”.
Finalmente, Jorge Alves, catedrático da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, dissertou sobre “ O Ideário Republicano no Início do Século XX”. Entre os vários subtemas abordados, deu especial relevo à divisão administrativa do país, no que se refere ao número de concelhos, ao seu agrupamento, e à descentralização do poder.