Câmara da Maia analisa consequências de 30 dias de portagens

A Câmara Municipal da Maia vai fazer, segunda-feira, o balanço dos primeiros 30 dias de portagens nas ex-SCUTs do Grande Porto, e dar a conhecer as consequências financeiras para a autarquia e as medidas a tomar para minimizar os danos causados.

Em causa está o facto de o município ser obrigado a pagar portagens para entrar com os camiões do lixo na Lipor II, em Moreira da Maia. Já os camiões provenientes dos concelhos de Matosinhos e Porto conseguem chegar à Lipor sem passar por qualquer pórtico.

Em comunicado, a autarquia maiata considera “estranho” que os seus camiões tenham de pagar portagens para entrar num equipamento intermunicipal localizado no seu próprio concelho.

Desta forma, segunda-feira, pelas 9h30, junto à Praça do Município, o presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes vai divulgar os custos provocados por uma situação que considera “caricata”. Um camião do lixo fará ainda o percurso entre a cidade e a Lipor, em Moreira da Maia, para demonstrar o que acontece diariamente.