Serviços do metro agradam aos utilizadores

O serviço de transporte da Metro do Porto continua a registar elevados níveis de satisfação junto dos seus utilizadores. Esta é uma das conclusões do inquérito realizado pela Domp, empresa de estudos de mercado, entre 17 e 23 de Novembro do ano passado.
Para este Estudo de Perfil de Satisfação do Utilizador do Metro do Porto, foi utilizada uma amostra constituída por 1611 indivíduos.

É habitual a Metro do Porto fazer este tipo de estudo, mas este assumia uma importância acrescida, dada a mudança de operador em Abril – o consórcio ViaPORTO assumiu os serviços de operação e manutenção do sistema de metro. “Era importante saber se, com a entrada do novo operador, mantínhamos os níveis elevados de satisfação alcançados em anos anteriores”, justificou o presidente do Conselho de Administração (CA) da Metro do Porto, Ricardo Fonseca.

A satisfação global rondou os 80 pontos (valores próximos dos registados, os níveis de lealdade dos utilizadores do serviço ultrapassaram os 90 pontos, e verificou-se ainda uma subida de satisfação no que se refere ao conforto, limpeza e disponibilidade dos funcionários. “É, sem dúvida, um resultado positivo. E uma vez que 2010 foi o ano em que houve mudança de operador, havia alguma ansiedade em saber como é que a transição se processava, e felizmente, processou-se com a inteira satisfação dos nossos clientes”, salientou Ricardo Fonseca.

No entanto, o inquérito revelou a existência de alguns “pontos fracos”, nomeadamente ao nível da informação aos utentes (comunicação de atrasos ou avaria na linha), frequência e cobertura da rede. Pontos que a empresa pretende melhorar. “É nesses pontos que nós vamos ter de apostar, para que o nosso cliente se sinta ainda mais satisfeito. Estamos a trabalhar nesse sentido”, garantiu o presidente do CA da Metro. A pontualidade e a comodidade são “pontos fortes” do serviço, de acordo com os dados divulgados pela Domp.

O estudo, que tinha como objectivo avaliar o grau de satisfação e perfil dos utilizadores do metro de superfície, concluiu ainda que, mais de metade dos clientes são jovens, com idades entre os 15 e os 34 anos (52,7 por cento). É o segmento que tira mais partido das vantagens do metro. As linhas mais procuradas por esta faixa etária são a Amarela (Hospital São João), que apresenta um valor de 33,4 por cento. Mas é a Linha Vermelha (Póvoa de Varzim) que se destaca por ser a mais jovem da rede, uma vez que 38,3 por cento dos clientes que a utilizam têm idades entre os 15 e os 24 anos.

O cliente tipo do metro do Porto é do sexo feminino (62,7 por cento), de classe média, com menos de 35 anos de idade, solteira e com habilitações médias ou superiores. Os homens, 37,3 por cento deste universo, são maioritários apenas na linha que serve o Aeroporto (Violeta), na qual correspondem a mais de metade dos utilizadores (55,6 por cento).
A maioria dos clientes do metro é residente nos concelhos abrangidos pela rede. No Porto reside 29,4 por cento dos clientes, seguido de Vila Nova de Gaia (19,5 por cento), Matosinhos (16,9 por cento), Maia (7,8 por cento), Gondomar (6,8 por cento), Vila do Conde (4,6 por cento) e Póvoa de Varzim (2,8 por cento).

Fernanda Alves

2 respostas
  1. Pedro
    Pedro says:

    É pena não estarem incluídas nesse estudo pessoas com deficiência, portadoras de cadeiras de rodas, pois a maior parte delas nem sequer consegue entrar num metro! mas enfim, na sociedade portuguesa só entram pessoas sem deficiências…

  2. Pedro Pinto
    Pedro Pinto says:

    Então se os resultados são tão “satisfatórios”, porque é que todos os dias se diz que o metro está FALIDO ??
    Desculpem, que pergunta tola!
    Esqueci que estamos em Portugal.

Os comentários estão fechados.