“Valorizar Percursos” da Sonae já qualificou 1500 colaboradores

A Sonae entregou diplomas a mais 230 colaboradores que completaram, através do seu Centro Novas Oportunidades, o 9.º e 12.º anos de escolaridade ao abrigo do Programa “Novas Oportunidades”. A cerimónia decorreu recentemente, no grande auditório do Fórum da Maia.

O projecto “Valorizar Percursos”, designação dada à implementação interna da iniciativa “Novas Oportunidades” e que tem como objectivo aumentar as qualificações dos colaboradores da área do retalho, envolve mais de 4300 colaboradores no âmbito nacional, dos quais cerca de 1500 obtiveram já uma certificação, fortalecendo as suas competências e desenvolvendo as suas carreiras profissionais. Sendo uma empresa que, diz a directora dos Recursos Humanos, Ana Cristina Dias, dá muita formação aos seus colaboradores, sobretudo aos que têm menos qualificações, estão reunidos os “ingredientes” para um projecto que pretende reconhecer competências. Ficam a ganhar os colaboradores e a Sonae, “que fica com colaboradores mais envolvidos, mais comprometidos e mais motivados. E claramente, colaboradores mais motivados, são colaboradores mais produtivos, e com um espírito de camisola muito maior”, sublinha a responsável pelos Recursos Humanos.

A Sonae assume-se como um grupo que investe continuamente nas competências e na carreira dos seus colaboradores, “sendo a formação, definitivamente, uma grande prioridade, pois é a melhor forma de potenciar os melhores talentos, melhorar as suas competências e retê-los na empresa”. De referir que, nos últimos anos, o volume de formação desenvolvido na empresa tem-se situado, em média, nos 1,4 milhões de horas de formação. “Por acreditar que o valor das empresas é o valor das pessoas que delas fazem parte, a Sonae perseguirá sempre o objectivo de formar cada vez mais e melhor os seus colaboradores”, afirmou José Côrte-Real, administrador da Sonae.

“Nunca é tarde demais”

Na cerimónia de entrega dos diplomas, três colaboradores deram o seu testemunho. Carla Pinho foi uma das intervenientes. É “visual merchandising” da secção têxtil das lojas Continente. A PRIMEIRA MÃO referiu que esta foi uma “oportunidade excelente” para concretizar algo que há muito desejava. Entrou para o grupo Sonae com apenas 26 anos, e o 11º ano de escolaridade incompleto. A participação permitiu-lhe completar o 12º ano, e o próximo passo, “já este ano”, será entrar na universidade. “É uma oportunidade que eu vou agarra-la, já este ano. Não é um compromisso. É um projecto que ficou escrito no meu portfólio”, diz Carla Pinho. “Vou tentar e vou conseguir conciliar o meu trabalho na Sonae, sem lesar qualquer tarefa da minha função”, garante. Com 43 anos de idade, casada e mãe de três filhos, diz que “nunca é tarde demais” para aprender.

Fernanda Alves