PS Maia “condena” atitudes da câmara e do conservatório

O Partido Socialista (PS) da Maia “condena” as atitudes da Câmara Municipal da Maia e do Conservatório de Música da Maia de recorrer aos tribunais por causa do anunciado corte do financiamento por parte do Ministério da Educação. Em comunicado, os socialistas apelam ainda “ao bom senso no sentido de repor a serenidade tão necessária para que os professores ensinem e os alunos aprendam”. Só dessa forma, acrescentam, “podemos contribuir para mais educação para todos”.

A propósito das notícias vindas a público que dão conta de um corte do financiamento na ordem dos 70 por cento, os socialistas dizem que tal informação não corresponde à verdade. Aliás, “é necessário dizer que se trata de uma mentira”.
E justificam a acusação dizendo que a Conservatório foi informado, “como todas as entidades congéneres, de que o financiamento de uma parte dos cursos, se passaria a processar, a partir de Janeiro de 2011 a partir de fundos oriundos do Programa Operacional do Potencial Humano. Para tal deveriam apresentar uma candidatura àquele mecanismo de financiamento no início do mês de Março”.
No entanto, acrescenta o mesmo comunicado da concelhia socialista, a reacção foi, “inexplicavelmente, a de ameaçar os responsáveis da DREN e do ME com processos em tribunal por alegado ‘incumprimento de contrato’”.

A mesma nota levanta ainda algumas notas, nomeadamente “a quem pode interessar um tal clima de instabilidade”; “pensou, quem de forma tão leviana actuou, no impacto junto dos profissionais que desempenham as suas funções no Câmara Municipal da Maia”; “pensou na incerteza criada nos alunos e nos respectivos encarregados de educação” e “a quem pode interessar criar incerteza e angústia”.