Criança Diferente trouxe o teatro de rua à Praça do Município

Os utentes da Criança Diferente saíram para a rua para celebrar o Carnaval, em véspera da terça-feira gorda. Vieram até à Praça Dr. José Vieira de Carvalho e surpreenderam quem passava com uma representação da história “O Capuchinho Vermelho”. Algumas dezenas de pessoas chegaram mesmo a parar para assistir à representação e, no final, aplaudiram os jovens actores.

O teatro é uma das actividades que está a ser desenvolvida pela Academia da Criança Diferente, recentemente criada, e que pretende levar a cabo mais acções de rua como esta.
O objectivo é levar a diferença até junto da sociedade, mostrando que apesar de diferentes, são pessoas com potencial. “É muito importante as pessoas verem estes jovens e não pensarem que eles estão escondidinhos numa sala, numa escola. Acho que este é que é o caminho”, sublinhou Clarisse Monteiro, presidente da direcção da associação Criança Diferente. “Há pessoas que parece que têm medo das pessoas com deficiência. Aqui eles estão a ver que são crianças ou jovens como os outros, que até conseguem fazer um teatro, uma representação. Ficam com uma imagem mais positiva da deficiência”, acrescenta a responsável pela Criança Diferente.

E nesse sentido, uma das prioridades da academia de teatro é aproximar ainda mais estes jovens diferentes da restante comunidade maiata, levando o seu trabalho até aos locais públicos, como a praça do município.
O trabalho foi preparado no espaço de dois meses, com ensaios de hora e meia e apenas uma vez por semana. “Para meninos com deficiência é pouco tempo de ensaio, mas estiveram muito bem”, salientou Clarisse Monteiro.

A assistir esteve a vereadora da acção social da Câmara da Maia, Ana Miguel Vieira de Carvalho, que deu os parabéns aos participantes. E aproveitou ainda para convidar a Criança Diferente a trazer mais vezes o teatro de rua à praça do município.

FA