JP da Maia eleita a melhor concelhia de 2010

A Juventude Popular (JP) da Maia foi distinguida com o Prémio Adelino Amaro da Costa, que premeia a melhor concelhia da Juventude Popular no ano de 2010. “Mais do que justo”, foi a expressão mais ouvida entre os inúmeros conselheiros nacionais da estrutura, que felicitaram a concelhia maiata pela distinção, durante o conselho nacional da estrutura, que decorreu no dia 16 de Abril, em Águeda e que contou com a presença de cerca de 60 conselheiros, entre os quais cinco da Maia. Concorreram outras cinco concelhias da estrutura da JP e a da Maia arrecadou 3292 pontos do júri do galardão.

Em comunicado, a estrutura maiata assume que o ano de 2010 foi “sem dúvida alguma” o melhor ano da Juventude Popular da Maia.

Debates de interesse público, campanhas de rua e junto das escolas, a afirmação do Jornal “O Jovem”, a reformulação de imagem externa, a aposta clara nas redes sociais e no website, e o aumento do número de novos filiados foram pontos que a JP considera terem sido essenciais para que o ano passado fique gravado na memória da estrutura para sempre. “Grandes debates como os da Regionalização e o da Eutanásia, pertinentes tertúlias da sede sobre Gestão Autárquica e o Ensino em Portugal, relação próxima com o CDS Maia que permitiu dedicar um dia de debates a pensar na Direita democrática, qualidade inquestionável e crescente do jornal mensal editado pela concelhia – O Jovem, constante aposta no contacto directo com os jovens estudantes do concelho da Maia e crescimento qualitativo de militantes permitiram que a estrutura fosse reconhecida com a mais alta distinção da Juventude Popular para as concelhias que melhor trabalharam no período de um ano”, enumera a estrutura dos jovens populares.

Para o presidente da concelhia da Maia, Manuel Oliveira, esta distinção prova “que a concelhia da Maia cumpre com o seu dever de levar sempre a imagem da Juventude Popular mais alto, somos exímios e apaixonados pela forma como fazemos política”, sublinha.

Ainda a propósito do trabalho que levou a este reconhecimento, Manuel Oliveira afirma que o último ano foi “muito trabalhoso e com a concelhia a crescer a cada dia fomos sempre querendo fazer mais e mais”.

Entre os melhores momento, o líder concelhio destaca “a reunião de várias figuras do CDS/PP na Maia para discutir não só o partido mas também a direita actual em Portugal. “Penso que poucas estruturas, até do CDS, conseguiram num ano que intervenientes políticos actuais como José Ribeiro e Castro, João Almeida, Michael Seufert, Garcia Pereira, Rui Moreira ou Nuno Melo participassem directamente nas suas actividades seja em formato de debate ou tertúlia”, enaltece.

Como ponto negativo, Manuel Oliveira aponta com “alguma amargura” o resultado da Volta ao Concelho. “Era muito importante para nós conseguir conversar com todos os responsáveis locais, todos os executivos de junta, mas infelizmente isso não foi possível”. No entanto, de consciência tranquila, a estrutura afirma que lhes resta perceber que não podem obrigar ninguém a recebe-los mesmo dando garantias de que são um grupo de jovens maiatos que quer conhecer cada vez melhor o seu concelho.

Para a estrutura concelhia, o galardão, “foi assim mais uma vitória. Construída a cada dia, com o esforço e a entrega de muitos que nada exigem em troca a não ser a possibilidade de pertencer a uma estrutura que dignifique o mérito, os jovens e o futuro”, concluiu.