Passos Coelho pediu maioria absoluta

No penúltima dia de campanha eleitoral, o PSD começou o dia no concelho de Valongo. No largo da Estação da CP, em Ermesinde, Pedro Passos Coelho contactou com a população. Depois, a comitiva andou pelo centro da cidade da Maia, onde o líder do PSD entre apertos e empurrões foi distribuindo cumprimentos. À espera do candidato a primeiro-ministro estavam algumas centenas de pessoas, que cantavam palavras de ordem como “PSD”, “maioria”, “Portugal”, “vitória”, e agitavam bandeiras do partido laranja e de Portugal.
Pedro Passos Coelho disse que tem visto, pela volta ao país, pessoas com muitas dificuldades e que toda a gente sabe quem são os responsáveis. Mas agora não é tempo de pedir responsabilidades. “Nestas eleições não vamos ficar a olhar para trás. Nós sabemos o que se passou, nós sabemos de quem é a responsabilidade mas agora não é tempo de ajustar contas”.

Para o líder do PSD, é tempo de escolher um novo Governo. “É tempo de escolher um governo forte, um governo coeso, um governo que possa liderar uma mudança em Portugal e que possa voltar a dar esperança a Portugal”, referiu.
Passos Coelho acrescentou ainda que o próximo Governo não pode falhar e, por isso, pediu o voto no PSD para conseguir uma maioria. “A maioria que pedimos não é para o PSD, a maioria que peço não é para mim, não é para ter a vida mais fácil, é porque é melhor para Portugal e nós queremos lutar por Portugal, não é pelo PSD”.

O líder do PSD afirmou ainda que aqueles que afirmam que as maiorias são más, são aqueles que “fizeram mau uso da confiança que os portugueses lhe deram para governar. Nós não queremos uma maioria para sermos arrogantes, nem para dar murros na mesa, nem para mandar, nem para levar os empregos ao partido, nem para dividir o país. Nós queremos a maioria para fazer justiça, para contar com todos, para lutar por Portugal”, acrescentou.
A caravana laranja seguiu depois para Paços de Ferreira, para um almoço no Pavilhão da Capital do Móvel. Ao final da tarde, Pedro Passos Coelho participa numa arruada em Santa Catarina. Para as 20h00 está agendado um Comício na Praça D. João I, no Porto.

Isabel Fernandes Moreira

1 responder
  1. Arminda Moura
    Arminda Moura says:

    Gostei de ver a vivacidade que envolveu a pessoa de nosso futuro Primeiro-Ministro aqui na cidade da Maia. As pessoas acreditam que Portugal pode e deve mudar. Força Portugal!

Os comentários estão fechados.