Maia colabora na limpeza de Água Grande

A Câmara Municipal da Maia entregou na quarta-feira, dia 15 de Junho, à Câmara Distrital de Água Grande, de São Tomé e Príncipe, um camião para recolha de resíduos sólidos. A doação, ao abrigo do protocolo de cooperação existente entre os dois municípios, surge depois de um apelo feito pelo autarca de S. Tomé, no ano passado, durante uma visita feita a Portugal. Na altura, Ekeneide Lima dos Santos apontava a limpeza urbana como sendo um dos problemas do seu território.

“O presidente de Água Grande pediu-nos várias coisas, entre elas se era possível nós encontrarmos uma viatura que pudesse, de alguma maneira, ajudar a essa recolha do lixo”, conta o vereador responsável pelas relações internacionais da autarquia, Paulo Ramalho. “É um instrumento de trabalho muito caro, mas nós na Maiambiente estávamos numa fase de requalificar algumas das nossas viaturas e identificamos uma que estivesse em bom estado e que estivesse em condições de ter uma vida de tempo útil em acções de limpeza e devo dizer que esta é uma viatura que cumpre todos os requisitos necessários para durante 8, 9, 10 anos desempenhar as suas funções de forma perfeitamente eficaz”, garantiu. Por isso, o autarca da Maia considera que se trata de um momento importante no âmbito da cooperação entre os dois municípios.

Já foi considerada a cidade mais bonita e mais limpa de África e é esse estatuto que o presidente da Câmara Distrital de Água Grande pretende recuperar. De acordo com Ekeneide Lima dos Santos actualmente o distrito tem em curso um projecto financiado pela União Europeia de recolha de resíduos sólidos e urbanos que tem contribuído para cumprir essa meta. “Isso é um desafio nosso e a Câmara da Maia não podia ficar fora deste desafio tendo em conta que é um dos nossos parceiros, que nos apoia muito e está disposto a ajudar-nos. E hoje a oferta deste camião é uma realidade”, sublinhou.

Para o segundo semestre deste ano está prevista a visita de uma delegação empresarial da Maia a S. Tomé e Príncipe. É que depois de um primeiro encontro que aconteceu no Tecmaia, agora o objectivo, conta Ekeneide Lima dos Santos, é mostrar as potencialidades económicas do município aos empresários da Maia. “Identificamos as possíveis oportunidades para o investimento em S. Tomé e as áreas com mais potência para o investimento são o turismo, a prestação de serviços, tecnologias de informação e construção civil”.

Será Paulo Ramalho a chefiar essa delegação da Maia. O vereador defende que a cooperação tem que ser vantajosa para as duas partes. E se a Maia tem dado o que pode a S. Tomé, agora é “expectável” que S. Tomé dê a Portugal e à Maia aquilo que pode. “Chegamos à conclusão que poderíamos cooperar a outros níveis, por exemplo, no âmbito da cooperação económica. S. Tomé e Príncipe tem uma território que está por desenvolver, que tem inúmeras carências e possivelmente é interessante para os portugueses investir em países onde fala português e a relação de confiança é muito maior e, por isso, há todo o interesse em encontrar soluções de cooperação a nível da estratégia económica”.

Paulo Ramalho recordou que existe já um longo historial de cooperação entre os dois municípios, que já resultou num conjunto de acções “com grande benefício e grande impacto no território de S. Tomé e Príncipe”. Por exemplo, já doaram duas ambulâncias e têm 30 jovens de S. Tomé a estudar no concelho da Maia, uns no Ismai e outros no Ciccopn, “que vão ser uma mais valia à mão-de-obra, aos recursos humanos de S. Tomé”, sublinha.

Essa mesma ideia é partilhada pelo autarca de Água Grande que ressalva que este ano vão ter muitos finalistas, um deles é o melhor aluno do curso que frequenta no Ismai. Para Ekeneide Lima dos Santos isso representa uma qualidade nos recursos humanos do distrito. “É uma aposta nossa e com o apoio dos parceiros nós estamos a valorizar mais o nosso pessoal”.
O autarca de S. Tomé considera que esta “é uma das melhores” cooperações em termos de geminações que o distrito realizou, “a qual nós agradecemos muito porque nos está a ajudar a desenvolver o distrito”, afirmou.

Na bagagem, a delegação da Maia vai também levar formação no âmbito da organização, planeamento e recolha de resíduos urbanos. Ainda dentro dessa mesma cooperação, a Maia está a ajudar Água Grande a instalar uma biblioteca e juntamente com o camião de recolha de resíduos, seguiu também uma remessa de livros para enriquecer o seu espólio.

Isabel Fernandes Moreira