Tony Carreira encerra festas do concelho da Maia

O cantor Tony Carreira será a grande atracção musical das festas em Honra de Nossa Senhora do Bom Despacho, na Maia, que arrancaram na sexta-feira da semana passada, dia 1 de Julho. Com o patrocínio da cadeia de hipermercados Continente, o cantor vai encerrar as festas do concelho, na segunda-feira, dia de feriado municipal. É a partir das 22h00, no Monumento à Comunidade Maiata. “Em tempo de crise, em que há dificuldade em conseguir verbas, a comissão de festas conseguiu um patrocínio que assegura o concerto de cantor, no dia de encerramento”, conta o presidente da comissão, Joaquim Marques.
As festas já arrancaram no dia 1 de Julho, com a inauguração das ornamentações. A partir dai começou a desencadear-se uma dinâmica de festa que só pára na segunda-feira. E para essa dinâmica, acrescenta este responsável, “muito contribui” a feira de artesanato e a feira do livro, que estão a decorrer desde o fim-de-semana. “Duas iniciativas que têm um programa muito rico e que fazem parte integrante do programa das festas”.

De acordo com Joaquim Marques, o programa este ano é “um bocadinho” mais limitado do que em anos anteriores, contudo, acredita que conseguiram um programa “agradável” e que “será interessante” para quem visitar a Maia por esta altura.

O presidente da comissão de festas acredita que a ideia de juntar as diferentes iniciativas num mesmo programa comum acabou por enriquecer as festas da cidade e criar uma outra dinâmica. “Faz todo o sentido juntar as diferentes iniciativas e eu tenho sido adepto de fundir tudo isto numa coisa só, vamos ver se numa próxima oportunidade isso é possível”, afirma.

Uma vez que estamos a falar das festas do concelho, a sua ideia, acrescenta, é que a Câmara Municipal da Maia assuma grande parte da organização das festas. “Realmente, a autarquia dá um contributo muito grande em termos financeiros, depois estamos nós, por trás, a criar este programa, mas era preciso que eles tivessem mais activos nisto”.
É que a edilidade maiata já comparticipa, no entanto, a comissão de festas assegura que não é suficiente. E para ajudar, o grupo lá vai organizando várias iniciativas, ao longo do ano, para angariar verbas. “Vamos fazendo alguns peditórios, tentamos também que as empresas do concelho participem e temos alguns patrocínios e só assim conseguimos levar este programa em frente”, justifica. Mas acrescenta que os tempos de crise também não dão grande abertura às empresas para que colaborarem. “Com esta crise não é fácil, mas este ano tivemos um patrocínio excepcional do Continente que vai trazer à Maia o Tony Carreira”. “Penso que não podíamos ter um final melhor, vai ser um final em grande, que vai ficar na memória da comunidade maiata e não só”.

No que toca ainda ao programa musical, destaque ainda para o Festival de Bandas de Garagem, organizado pelo pelouro da Juventude da Câmara da Maia, cujas meias finais decorreram na sexta-feira e no sábado, no auditório do Venepor. A final está marcada para hoje, a partir das 21h30, junto ao Monumento à Comunidade Maiata. Os espectáculos de domingos também prometem ser animados. A animação musical arranca às 20h30 com o Festival de Danças Urbanas, a partir das 23h00, temos humor a cargo da dupla Quim Roscas e Zeca Estacionancio. Ainda no sábado, sobe ao palco a 33ª edição do Festival de Folclore.

Este ano, a exemplo do que já aconteceu há uns anos, a comissão traz para as festas um espectáculo que tem cativado o público, que são as festas na rua. “Este ano vamos apostar nessas festas, que são pequenos grupos que interagem com o público quer cantando, quer tocando, quer fazendo momentos de teatro, tocando jazz, por exemplo, e interagindo com o público”. Este ano vai ser ligeiramente diferente porque, para além das ruas a organização vai colocá-los também a tocar, durante alguns momentos em locais fixos. “Vamos assim reactivar um anfiteatro que tem estado parado há imensos anos, que é o anfiteatro das fontes, que fica no acesso da Via Norte para a Maia, para quem vem do Porto. Vamos fazer com que os grupos passem por ali, que vão tocando, que o público vá assistindo e que tenha alguma comodidade porque está sentado e, depois, regressam à rua”, justifica o presidente da comissão.

Novidade é também a Tasquinha do Leitão, a cargo da Comissão de Festas. “É um espaço destinado a angariar para estas festas e se sobrar alguma coisa será para o próximo ano, no entanto, nós estamos ainda é preocupados com a edição deste ano, e em tornar esta viável”.

O orçamento para a edição deste ano não está fechado, adianta o responsável. Mas “será bastante inferior ao dos anos anteriores”, fruto dos patrocínios que conseguiram arranjar para a edição de 2011. Ajudou ainda o facto do Maiact não se realizar este ano, permitindo passar os festivais de danças urbanas e de bandas de garagem para o programa “animando as festas do concelho”. Isso ajudou a comissão poupar algum dinheiro com a animação musical. “Para além disso, a autarquia ainda participa com um grupo de Covers de Pop Rock, do concelho, a “Banda Xis”.

Procissão envolve todas as paróquias da Maia

Nem só de momentos musicais e culturais se fazem as festas da Cidade da Maia. Em honra de Nossa Senhora do Bom Despacho a componente religiosa não fica esquecida e marca o fim-de-semana. No domingo, a missa solene está marcada para as 11h00 e vai ser presidida pelo bispo emérito de Setúbal, D. Manuel da Silva Martins. Na segunda-feira, dia de feriado municipal, a missa solene, também às 11h00, vai ser presidida pelo bispo auxiliar do Porto, D. Pio Gonçalo Alves de Sousa, que vem à Maia pela primeira vez.
Mas o ponto alto está marcado para as 17h00 de Domingo, com a realização da Procissão em Honra de Nossa Senhora do Bom Despacho, Padroeira do Concelho da Maia, que vai percorrer as principais artérias da cidade e onde vão participar todas as paróquias do concelho da Maia, com um andor Mariano.

Esta é uma ideia a que as paróquias têm aderido “e até gostam de participar e esmeram-se”, adianta Joaquim Marques. “Eu acho que isso é importante, mas acho que a câmara municipal aqui também devia fazer alguma coisa em relação às freguesias, traze-las também a participar porque neste momento só temos as paróquias a participar activamente na procissão. Talvez numa próxima oportunidade isso seja possível”.
Quer os andores, quer o altar do santuário são enfeitados por zeladoras, que fazem “uma verdadeira obra de arte”, refere o presidente da comissão de festas. Mas fruto de promessas a Nossa Senhora do Bom Despacho, há quem ofereça as flores para as ornamentações.

Reza a história que os devotos esperam que Nossa Senhora faça “o despacho” que vá de encontro ao que lhe foi pedido. “Isto começou com os pescadores e com os agricultores que, nas horas de aflição, recorriam ao despacho da Nossa Senhora. “A imagem da Nossa Senhora tem um menino, mas tem também uma pena e um tinteiro para despachar o pedido”.

E anualmente, são muitos aqueles que passam pela Maia para pedir ou agradecer um despacho de Nossa Senhora, garante a comissão de festas. “Aliás, nós que andamos por aí, temos conhecimento que vem muita gente de fora, inclusivamente há muito imigrantes que vêm cá nesta altura para participarem nas festas, há ainda muitos devotos de Nossa Senhora, que vêm visitar o santuário e aproveitar toda esta dinâmica que é criada nesta altura e passam muitos milhares de romeiros pela Maia nesta altura”, sublinha
Joaquim Marques considera que, no seu todo, trata-se de um programa recheado que “vai honrar as gentes da Maia”. “O programa é feito a pensar em toda a comunidade”. Não promete festa rija, mas promete dias de festa para “a comunidade maiata que também atravessa tempos difíceis, como o país atravessa, portanto, vamos tentar esquecer um pouco isso e viver estes dias com muita intensidade, que nos vai ajudar a superar e a ganhar energia para o resto do ano”, conclui Joaquim Marques.

Isabel Fernandes Moreira