Obras sociais poderão ter comparticipação de 85 por cento


As obras sociais poderão ter uma comparticipação de 85 por cento. A notícia foi avançada pelo Secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social, Marco António Costa, no lançamento da primeira pedra do lar de idosos do Abrigo Nossa Senhora da Esperança, em Milheirós, no âmbito de uma visita oficial, que efectuou este fim-de-semana ao concelho da Maia.

“Esta obra tem uma taxa de cobertura de 75 por cento ao abrigo do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional e o Governo está a trabalhar para que essa taxa seja de 85 por cento, o que significará automaticamente uma maior cobertura da parte do Estado Central no que diz respeito ao investimento que é comparticipado”, afirmou Marco António Costa.

Ao longo do dia, o secretário de Estado visitou obras em curso de creches, lares de idosos, centros de dia e serviço de apoio domiciliário de diversas instituições do concelho, nomeadamente da Santa Casa da Misericórdia da Maia e da ASMAN. Inaugurou o berçário e a creche da associação “O Amanhã da Criança”. E lançou a primeira pedra de três obras sociais que vão ser edificadas na Maia, nomeadamente os lares de idosos do Abrigo Nossa Senhora da Esperança e do Amanhã da Criança e o lar residencial, centro de actividades ocupacionais da APPACDM da Maia, em Vila Nova da Telha.

A primeira pedra lançada foi do Lar de Idosos do Abrigo Nossa Senhora da Esperança, na freguesia de Milheirós. No local, Marco António Costa, na pessoa do presidente do Abrigo, destacou o exemplo de solidariedade intergeracional e o empenho de todos aqueles que trabalham na área social. “A solidariedade intergeracional num tempo em que se vivem tantas incertezas relativamente ao futuro colectivo deve ser um valor a cultivar e acima de tudo a respeitar”. Por isso, ao presidente da instituição, Sílvio Oliveira, agradeceu “pelo exemplo e pela determinação”.

O secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social destacou ainda o compromisso de trabalho assumido pelo dirigente. Um trabalho, sublinha, voluntário. “Estamos a falar de pessoas que em troco de nada entregam uma parte substancial do seu dia-a-dia em prol de um conjunto de valores de natureza social e que o fazem voluntariamente”, acrescenta.

O presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes, deixou votos que a obra arranque o mais brevemente possível, até porque o protocolo de cedência do terreno já foi feito há cerca de cinco anos. “Tenho pressionado, no bom sentido, que esta obra avance e agora acredito que realmente ela vai avançar”. O autarca da Maia lançou ainda um repto a Marco António Costa para que o Governo apoie efectivamente a obra e que regresse à Maia para a inauguração do lar.

O dia de visita oficial do secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social terminou com um encontro com as Instituições de Solidariedade Social do concelho da Maia,no salão nobre da Câmara Municipal da Maia.

Isabel Fernandes Moreira