,

Feira das Oportunidades está suspensa


A Câmara Municipal da Maia suspendeu a edição deste ano da Feira das Oportunidades, marcada para o mês de Maio. Em causa está a entrada em vigor da lei dos Compromissos. “A Câmara Municipal foi surpreendida pela entrada em vigor dessa lei no final de Fevereiro e é uma lei que permite apenas que sejam cabimentadas novas despesas se houver fundos para isso e empurrou a câmara municipal para níveis negativos, o que fez com que não tivéssemos oportunidade, em tempo útil, de organizar o evento”, justifica o vereador da Juventude. Hernâni Ribeiro já tinha comunicado a decisão na última sessão ordinária do Conselho Municipal de Juventude, que decorreu em Abril.

Hernâni Ribeiro acrescenta ainda que nunca este em causa a importância do evento. Entendendo que os temas abordados na Feira das Oportunidades – emprego, empreendedorismo e a valorização curricular e profissional – são temas importantes, para tentar colmatar a anulação do certame, o pelouro da Juventude está agora a tratar de arranjar alternativas.

Em fase de execução está uma espécie de feira das oportunidades digital. Nós vamos ter no nosso portal um espaço destinado a albergar todas aquelas entidades que marcavam presença na feira. Vamos ter lá toda a descrição dessas entidades bem como toda a oferta que têm disponível para os jovens nas várias vertentes”, explica o vereador

Paralelamente, no pelouro da Juventude está em processo de elaboração uma actividade que vai durar três meses e que vai versar quatro áreas que considera importantes, nomeadamente o empreendedorismo, o emprego, o marketing pessoal e o marketing digital. Terá uma fase de workshops de curta duração nas quatro áreas: uma segunda fase de jornadas de um dia com seminários, workshops e case studies e numa terceira fase vai realizar-se uma conferência a nível nacional sobre marketing e empreendedorimo. Numa quarta fazer vai ter um pitch de apresentação de projectos e profissionais a empresas.

O vereador acredita que com estas duas actividades serás colmatar a falta da feira das oportunidades. Mais, “tenho ideia que o resultado final das actividades propostas será melhor do que a Feira das Oportunidades. A nossa expectativa e que provavelmente o melhor caminho, o que mais se adequa à realidade de hoje é este o caminho a seguir”, acredita Hernâni Ribeiro.

As reacções

Em comunicado, Juventude Socialista da Maia lamentou a situação. Em primeiro lugar, “pelo timming escolhido para anunciar a decisão”, uma vez que a feira foi suspensa “poucas semanas antes da sua realização”, afirma a coordenadora concelhia da estrutura, Ana Leite, o que não deu a possibilidade de serem apresentadas propostas “que viessem minorar os impactos negativos desta realidade”.

Os jovens socialistas maiatos “condenam”, também a escolha política tomada pelo executivo PSD. “Mais uma vez, a Câmara Municipal da Maia põe os jovens em segundo plano. Sabemos que o país vive um grave momento de crise económica”, sublinha Ana Leite.

A JS Maia entende que a Feira de Oportunidades deveria manter-se, e aponta como caminho a possibilidade de “trabalhar lado a lado com as escolas do concelho, tentando encontrar sinergias que permitissem a realização deste evento”.

Quanto às alternativas apontadas para minorar os efeitos da suspensão do evento, a JS considera que não vão ao encontro dos objectivos do antigo certame, “esvaziando o papel de relevo que os jovens, e os seus interesses, assumiam” durante a sua realização”.

Por seu lado, a concelhia da Maia da Juventude Social Democrata (JSD), apoia a opção tomada pelo vereador da Juventude da Câmara Municipal da Maia. A estrutura vai mais longe e defende que “a “Feira das Oportunidades”, nos moldes em que estava, já pouco tinha a oferecer aos jovens”. A JSD mostra-se ainda disponível para, em conjunto com todos os agentes, “procurar a melhor solução para os jovens maiatos”.

No mesmo Conselho Municipal da Juventude, a JSD Maia propôs a criação de uma Comissão Eventual para o estudo da temática do Emprego, que fosse formada por agentes de emprego do concelho, por exemplo pela delegação da Maia do Instituto do Emprego e da Formação Profissional. Hernâni Ribeiro apresentou como alternativa a esta proposta a audição, em sessão extraordinária do Conselho Municipal da Juventude, do Director do IEFP Maia, o que vai acontecer esta semana.