Bragança Fernandes arguido em investigação da PJ

A Polícia Judiciária do Porto apreendeu 63 mil euros, em dinheiro vivo, na casa do presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes. As notas foram descobertas durante uma busca domiciliária, em Dezembro de 2009, numa residência da Rua do Vigorosa, no Porto. A notícia é avançada por um jornal diário.

O jornal afirma ainda que o autarca e o vice-presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, são arguidos no âmbito de uma investigação da PJ.

O dinheiro estaria guardado na mesinha de cabeceira da então namorada de Bragança Fernandes.

Contactado a Câmara Municipal da Maia, o gabinete de imprensa limitou-se a divulgar uma nota oficial que diz que no seguimento das notícias vindas a público esta sexta-feira na Comunicação Social referente a factos ocorridos há mais de 3 anos, o presidente e o vice-presidente da Câmara da Maia, nada podem declarar, “uma vez que esta matéria se encontra em segredo de justiça”.

A nota oficial divulgada pelo Gabinete de Imprensa da autarquia, sublinha ainda que a constituição de arguidos sucedeu a solicitação da defesa para poder conhecer os factos.

O mesmo documento refere ainda que Bragança Fernandes e Silva Tiago esperam que a justiça seja célere “por forma a que esta situação seja clarificada o mais rapidamente possível”.