Câmara da Maia e PSD reagem às notícias do inquérito judicial

“Informações erradas e falsidades apresentadas como factos”. É desta forma que a Câmara Municipal da Maia respondia às notícias veiculadas esta sexta-feira, num jornal diário, que davam conta de um inquérito judicial visando o presidente, Bragança Fernandes, e o vice-presidente, Silva Tiago.

O comunicado, enviado do gabinete da presidência sublinha ainda que o objectivo das “informações erradas” e das “falsidades apresentadas como factos”, é “atacar a honorabilidade pessoal das pessoas envolvidas e o bom nome da Câmara Municipal”.

O Presidente e o Vice-Presidente da Câmara Municipal da Maia, “Lamentando profundamente o teor dessas referidas notícias e a perturbação que as mesmas causam na população maiata”, Bragança Fernandes e Silva Tiago garantem que aguardam com “total serenidade” a conclusão do citado inquérito. “A mesma serenidade e espírito de colaboração que sempre adoptaram em sede do inquérito”.

Também o PSD da Maia não perdeu tempo a reagir às notícias que foram circulando durante o dia. Em comunicado, a estrutura presidida pelo também presidente da Câmara da Maia, Bragança Fernandes, lamenta a “vulnerabilidade” do segredo de justiça em Portugal, “promovendo o julgamento sumário em praça publica, através de notícias deturpadas de uma situação antiga, ocorrida em 2009 e oportunamente esclarecida”.

O Partido Social Democrata da Maia reitera a “sua” total solidariedade para com o presidente e vice-presidente da edilidade maiata. E garante que as noticias, “mal intencionadas”, não beliscam o trabalho realizado “que faz da Maia um Concelho de referência”.

Também o PSD da Maia diz aguardar “com serenidade” o total esclarecimento destas matérias, esperando que a justiça funcione “com celeridade e reponha a veracidade dos factos”.

Num gesto de confiança, a estrutura anuncia que é sua vontade que Bragança Fernandes se apresente como candidato pelo PSD à Câmara Municipal da Maia nas próximas eleições autárquicas.

Recorde-se que o jornal diário avançava esta sexta-feira com a notícia que a Polícia Judiciária do Porto tinha apreendido 63 mil euros, em dinheiro vivo, na casa do presidente da Câmara Municipal da Maia, Bragança Fernandes. A notícia acrescentava ainda que as notas foram descobertas durante uma busca domiciliária, em Dezembro de 2009, numa residência da Rua do Vigorosa, no Porto. A notícia é avançada por um jornal diário.

O jornal afirma ainda que o autarca e o vice-presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, são arguidos no âmbito de uma investigação da PJ.

O dinheiro estaria guardado na mesinha de cabeceira da então namorada de Bragança Fernandes.