Opinião Victor Dias: Perfila-se nova liderança no PSD Maia

Dentro de alguns dias, a concelhia da Maia do Partido Social Democrata, vai a votos, para eleger a sua Comissão Política.

Por diversas razões, creio que também por vontade própria, Bragança Fernandes, actual líder da CPC, sai da cena partidária local, a meu ver num gesto de inteligência política que não deixa dúvidas, quanto à sua intenção, de não largar o futuro, nas mãos do acaso. E como sabemos, em política, o acaso, é quase sempre um factor de perturbação e instabilidade.

Face a esta estratégia, percebe-se facilmente que Bragança Fernandes sabe bem a dimensão e o alcance das suas responsabilidades e não deseja passar o testemunho a qualquer um, bem pelo contrário, deseja ter garantias de que os valores da estabilidade e Paz social, pelos quais tanto batalhou, serão preservados por um sucessor que será guardião desse património.

Julgo que isso explica claramente o aparecimento da candidatura de Silva Tiago, como um candidato natural que partilha precisamente desses valores inestimáveis, pelos quais, aliás, também se bateu, em perfeita sintonia e solidariedade, pessoal e institucional, com Bragança Fernandes, quer nos bons momentos, como nos tempos de maior dificuldade, mormente, aquando da morte prematura de Vieira de Carvalho.

Diga-se em abono da verdade que Silva Tiago teve, nessa altura, um papel fundamental, no apoio incondicional que deu a Bragança Fernandes, numa transição que, como por certo muitos se hão-de lembrar, não foi fácil para ninguém, dadas as dolorosas circunstâncias, psico-emocionais e sociais, em que esse acontecimento nefasto ocorreu, colhendo todos de surpresa.

Silva Tiago perfila-se, à luz deste contexto, como o homem certo, para uma passagem de testemunho serena e tranquila, sem embargo de poder inaugurar um novo ciclo político no PSD Maia, certamente marcado pelas suas características próprias, mas também, e muito, pelo enorme capital de experiência política que acumulou, ao longo da sua vida pública.

Certo é que a sua missão não se adivinha fácil, num momento de ajustamento doloroso que tanta impopularidade tem granjeado para o PSD.

Está nas suas mãos, demonstrar que a política nacional tem o seu próprio plano de afirmação, confronto de ideias e posições, e que por seu lado, a política local, se desenvolve num espaço mais particular, que lhe é próprio, no qual, por vezes, se torna mais viável, convergir nos objectivos, para encontrar consensos políticos, em nome do bem comum.

Silva Tiago terá de fazer o seu caminho, de afirmar o seu estilo pessoal e, sobretudo, ser um líder catalizador de boas vontades, para reunir ao seu redor, uma equipa competente, leal e solidária que o ajude a chegar ao cargo que, certamente, almeja ocupar um dia, o de Presidente da Câmara Municipal.

Claro está que não será um percurso fácil que vai exigir dele muita determinação, resiliência e coragem. Do mesmo modo, julgo que terá a sabedoria de guardar uma das características que mais ajudou Bragança Fernandes a ser, como é, o líder da Comunidade Maiata. Refiro-me à a afabilidade com que se torna próximo das pessoas, porventura, o maior e melhor capital do actual Presidente da Câmara da Maia.

O candidato Silva Tiago tem, com toda a certeza, consciência que a sua missão não vai ser fácil, mas estou totalmente convencido que se fosse fácil, ele não estaria tão motivado e entusiasmado com este desafio que vai abraçar.

Victor Dias