Fazer a Festa também na Maia

Entre 24 de Abril e 3 de Maio decorre a 34ª edição do “Fazer a Festa” – Festival Internacional de Teatro, uma iniciativa do Teatro Art´Imagem, com a participação de 18 companhias, sete nacionais e 11 provenientes de vários países da Europa, África e América do Sul, que apresentarão 23 espectáculos.

O “Fazer a Festa” deste ano realiza-se, como habitualmente, no Porto, no Auditório da Biblioteca Almeida Garrett (Palácio de Cristal), também em Matosinhos, no Parque Basílio Teles e Praia do Titan, e na Maia, no Auditório da Quinta da Caverneira, em Águas Santas.

Os espectáculos que terão lugar no Auditório da Quinta da Caverneira são os seguintes:

25 de Abril, sábado, 16h00.
“A MAIOR FLOR E OUTRAS HISTÓRIAS SEGUNDO JOSÉ”. Teatro Art’Imagem.
M/6 | 50M
Inspirado na obra de José Saramago e tendo como base de trabalho dramatúrgico o seu livro para crianças “A Maior Flor do Mundo”, o Teatro Art´Imagem apresenta uma peça de teatro para ser vista por adultos e crianças em conjunto. Julgamos que a peça referida poderá funcionar como uma boa introdução à leitura da obra “A MAIOR FLOR DO MUNDO” que faz parte do Plano de Leitura do 1º Ciclo assim como introdução à obra geral do autor, podendo, naturalmente, ser visto por um público mais alargado e para além do contexto escolar.

A Maior Flor...

26 de Abril, domingo, 16h00.
“A CASA DO AVÓ”.
Tanxarina | Galiza – Espanha.
M/6 | 50M
“Um espectáculo de teatro social e educativo onde os direitos dos mais novos e dos mais idosos vão além do puramente artístico” Entendemos que os mais pequenos têm direito ao descanso, ao jogo, a realizar atividades próprias da sua idade…, mas também cremos que têm direito a participar plenamente de uma vida cultural e artística, a ser conhecedores do que passa ao seu redor de uma maneira apropriada e em condições de igualdade.”
Roberto recebe a notícia de que seu avô vai ficar sem casa, perante esta injusta situação a criança é colocada em marcha para encontrar uma solução e, nesta pesquisa, dispara um mundo de pequenas e divertidas aventuras protagonizadas pelas mais variadas personagens. Um encontro cómico e poético que desemboca em um final feliz propiciado pelo apoio solidário.

29 de Abril, quarta-feira, 21h30.
Comemoração DIA MUNDIAL DA DANÇA
“AMBITIO” Trabalhos Coreográficos ESTÚDIO B | Maia

3 de maio, domingo, 15h00.
“O GATO E O ESCURO” Leitura encenada.
Alunos ESAP | Porto.
M/6 | 30M
O gato e o escuro surge como uma experiência de trabalho de grupo integrado na Unidade Curricular orientada pelo docente José Manuel Couto do Curso de Teatro da ESAP.
“A mãe Gata dizia aos seus filhos para nunca atravessarem a barreira que separava a luz do escuro. Um dia, o gatinho Pintalgato desobedeceu às ordens da sua mãe e decidiu ir espreitar o escuro. Foi pondo uma pata, depois outra, até que reparou que metade dele já estava preta e, então, começou a chorar. Enquanto chorava, ouviu uma voz… Era o escuro que, ao mesmo tempo que consolava o gatinho, se lamentava, dizendo: -Eu é que devia chorar porque olho tudo mas nunca vejo nada! De repente, apareceu a mãe Gata. Pintalgato, receoso que a sua mãe o castigasse, encolheu-se, mas a Gata grande estava mais preocupada em consolar o escuro. Foi então que a mãe Gata perguntou ao escuro se não queria ser seu filho, mas este, como não era um gato, questionou-se. Ao virar-se, porém, viu uma cauda. Foi então que acordou e percebeu que era um sonho.”
Mia Couto

3 de Maio, domingo, 16h00.
“O GROCHO”.
Teatro de Ningures | Galiza – Espanha.
M/6 | 55M
A obra representa a história de um pequeno ogro que vive sozinho com a mãe em uma casa no meio de um bosque apertada, apartado da comunidade. No dia em que começa a ir para a escola e vê outras crianças descobre a diferença, não só em tamanho, mas também no seu instinto é o filho de um ogro que sua mãe amou de forma apaixonada.
O Grocho, com os seus seis anos, sua força extraordinária e sua terrível herança, tenta reconciliar com sua parte oculta, dominar os seus instintos em uma tentativa de parecer aos outros. Para isso tem que superar três testes.
Este relato preto e terno inspira nos contos tradicionais e é escrito com a finura e inteligência da grande autora para crianças, Suzanne Lebeau. O Grocho aborda muitos e variados conceitos: a superação, a imaginação, o amor, a natureza humana, a coragem, a moral, o lúdico da vida, a morte, a violência, a repressão, o abandono, a mentira, a solidão e engano. Ao expor as polaridades de dois personagens faz com que não posiciona como bons ou maus, mas como seres complexos e cheios de emoções, de modo que pode assim mostrar uma boa síntese da vida.

Bilheteira
5€ | Preço geral
3€ |Estudantes, Profissionais das Artes Cénicas, M/65 e Desempregados