Fazer a festa ou… o Teatro de Resistência

Fazer a festa

A Quinta da Caverneira, em Águas Santas, Maia, volta a integrar a rota do 35º Festival Internacional de Teatro “Fazer a Festa”, organizado pelo Teatro Art’Imagem, entre 22 de abril e 1 de maio. A festa vai fazer-se também nos jardins da Casa das Artes, no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Bonfim e no Teatro Carlos Alberto, no Porto.

Espetáculos, tertúlias e uma exposição serão apresentados nos dez dias por oito companhias de teatro, cinco nacionais e três estrangeiras, provenientes da Galiza (Espanha), Brasil e Cabo Verde, num total de 17 representações.

Como forma de minorar a falta de apoios, uma boa parte dos espetáculos da programação do certame é da responsabilidade do Teatro Art’Imagem, com espetáculos próprios, e outros fruto da “cumplicidade” conquistada pelo grupo com outras companhias ao longo destes 35 anos de edições.

O Fazer a Festa está numa fase em que precisa de reequacionar o seu futuro, dados os reduzidos apoios, em particular da Câmara do Porto, a quem o diretor do certame, José Leitão, volta a apontar o dedo: “Pelo terceiro ano consecutivo, o pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto e o Teatro Municipal Rivoli não dão qualquer colaboração e apoio à realização do Festival, excluindo-o da sua programação cultural”.

O festival está orçado em cerca de 65 mil euros, mas, explicou José Leitão, só existe  apoio financeiro até 15 mil euros em “dinheiro vivo” de resto, o certame vive de parcerias e cumplicidades conquistadas pela companhia portuense. “Mais de 12 mil euros vêm da Direção Geral das Artes, com quem temos um protocolo, cerca de 2 mil são suportados pelo IPDJ, o Instituto Português Desporto e Juventude, sendo os restantes apoios em espaços, materiais e divulgação da Direção Regional de Cultura do Norte, da Freguesia do Bonfim e, por último, da Câmara Municipal da Maia, onde temos o nosso espaço de trabalho e produção, com quem temos um protocolo a funcionar há alguns anos”.

Ainda assim, José Leitão, sublinhou que este “é mais uma vez o festival de resistência”.
“O apoio da Maia acaba por ser muito importante para o Fazer a Festa”, sublinhou o diretor do certame, pois “temos um espaço gratuito onde podemos apresentar as peças, alargando assim o certame para além da cidade do Porto. Digamos que temos o nosso cérebro na Quinta da Caverneira. Na Maia, já estamos com o Fazer a Festa pelo quarto ano e já houve até um ano em que saímos do Porto e apresentamo-nos por completo na Maia, em protesto pela política de Rui Rio”.

Nesta edição, destacam-se duas tertúlias performativas, no Teatro Carlos Alberto, onde se recordarão e se prestará homenagem a duas figuras teatrais, que acompanharam de perto o certame, Manuel João Gomes, crítico de teatro e tradutor, e Mário Viegas, ator e encenador.

Todos os espetáculos de rua que decorrem na Casa das Artes são gratuitos. Para a Quinta da Caverneira, Maia, os ingressos normais custam 5€, e com desconto são a 3€ (para estudantes, M/65, profissionais de artes cénicas e desempregados).

Art’Imagem tem espaço de criação e produção na Maia

José Leitão recordou que existem dois tipos de colaboração com a Câmara da Maia. “Um primeiro tem a ver com o Festival Cómico da Maia, sobre o qual existe um contrato-programa. Existe ainda outro protocolo com a autarquia que sujeita o Art’Imagem a determinadas obrigações, mediante a cedência do Auditório da Quinta da Caverneira: quatro oficinas de formação para a população (crianças, jovens, adultos e o Férias ao Palco); acolhimento de companhias; programação da Quinta da Caverneira e organização do Festival de Teatro Amador no município, em que o Art’Imagem trabalha com as companhias de teatro do concelho”.

A sede social do grupo Art’Imagem é no Porto, mas o espaço de produção e criação mais importante, admite José Leitão, está na Maia, na Quinta da Caverneira, “onde se encontra o nosso espólio numa biblioteca especializada de Teatro e onde temos um grupo de 20 pessoas, que todas as últimas quintas-feiras do mês, às 21h00, se reúnem para ler peças de Teatro”. É o Teatro Falado – encontro de leitores de Teatro.

Para além disso, o Art’Imagem está presente todos os dias na Quinta da Caverneira e proporciona atividades regulares quase diárias. Às segundas e quartas, há encontros para jovens. Às terças, realizam-se atividades na Biblioteca especializada de Teatro com a comunidade de leitores. Aos sábados, realizam-se oficinas para crianças.

José Leitão mostra-se satisfeito com a evolução da criação de público, “numa zona em que não existiam ainda hábitos culturais muito enraizados”. Com uma sala com capacidade para 100 pessoas já existe um público fiel e a pagar bilhete.
“Estamos há cerca de seis anos na Maia e já é uma aposta ganha, tal como o Festival Cómico. De há quatro anos a esta parte estamos a trabalhar mais a sério na Quinta da Caverneira. Temos uma atividade fantástica no município”, concluiu José Leitão.

Programação 35º fazer a Festa

– 22 abril | 17h00 | Teatro Carlos Alberto, Porto
Exposição: “Para lá da Memória dos 35 anos do Fazer a Festa”

– 22 abril |18h00| Teatro Carlos Alberto, Porto
“Bum!…! – António Lago

– 23 abril |16h00| Jardim da Casa das Artes, Porto
“Lullaby” – clown Rui Paixão

– 24 abril |16h00| Jardim da Casa das Artes, Porto
“Sonho e lembranças de Galeano” – Teatro Art’Imagem

–  24 abril |18h00| Junta de Freguesia de Bonfim, Porto
Encontro Aberto:   “Que fazer com o Fazer a Festa, 35 anos depois?”

– 25 abril |16h00| Jardim da Casa das Artes, Porto
“Fábrica de Gravatas” – clown Pedro Correia

– 25 abril |18h00| Junta de Freguesia de Bonfim, Porto
“Quantos Leminskis cabem aqui” – Art’Imagem/Bruno Boaro (Brasil)

– 25 abril |18h30| Junta de Freguesia de Bonfim, Porto
Encontro Aberto: Apresentação de Festivais Internacionais de Teatro (Portugal, Brasil e Galiza)

– 26 abril |10h30 e 14h30 | Auditório Quinta da Caverneira, Maia
“A maior história e outras histórias segundo José” – Art’Imagem

– 26 abril |17h00| Teatro Carlos Alberto, Porto
Tertúlia de homenagem a Manuel João Gomes

– 27 abril |10h30 e 14h30| Auditório Quinta da Caverneira, Maia
“A maior história e outras histórias segundo José” – Art’Imagem

– 27 abril |17h00| Teatro Carlos Alberto, Porto
Tertúlia de homenagem a Mário Viegas

– 28 abril |18h00| Biblioteca Quinta Caverneira, Maia
“Velho palhaço precisa-se!”- Art’Imagem/Teatro Falado – Comunidade de Leitores

– 28 abril |21h30| Auditório Quinta da Caverneira, Maia
“Um bico para velhos palhaços”- Harém Teatro (Brasil)

– 29 abril |19h00| Biblioteca Quinta Caverneira, Maia
Apresentação da Sala de teatro galega Ingrávida, Porriño (Espanha)

– 29 abril |21h30| Auditório Quinta Caverneira, Maia
Dança (Comemoração Dia M. Dança) – Ello (trabalhos coreográficos) – Estúdio B

– 30 abril |16h00| Biblioteca Quinta Caverneira, Maia
“O silêncio da Água de José Saramago” – Art’Imagem

– 30 abril |16h00| Auditório Quinta Caverneira, Maia
“Metamorfoses” – Xerpo Teatro (Espanha)

– 30 abril |23h00| Bar Quinta Caverneira, Maia
“Quantos Leminskis cabem aqui” – Art’Imagem/Bruno Boaro (Brasil)

– 1 de maio |16h00| Auditório Quinta Caverneira, Maia
“Cavaleiro Procura-se” – Teatro das Beiras  (Covilhã)

– 1 de maio |19h00| Auditório Quinta Caverneira, Maia
“Nôte D’Mindelo” – Bilan & Flávio (Cabo Verde)