Cirque du Soleil vem apreciar de perto trabalho do Acro Clube da Maia

A diretora de treino artístico do Cirque du Soleil, Caitlan Maggs, e o treinador acrobático Alexei Karuline, da mesma companhia, são os orientadores do workshop duplo que se irá realizar no próximo dia 14, nas instalações do Acro Clube da Maia.
Na altura do fecho desta edição as inscrições (máximo de 15 pessoas) já se encontravam quase fechadas, muito antes do prazo limite, que era o dia 12. O grupo a orientar pela dupla canadense e russa será pequeno e limitado, uma vez que se pretende proporcionar uma experiência de qualidade aos participantes.
No dia 14, de manhã, realizar-se-á a primeira parte do workshop sobre “movimento criativo, artístico e dança” , enquanto à tarde terá lugar a segunda parte relativa a “elementos dinâmicos; postura e técnicas”.

Não é de admirar que este curso, mesmo tendo um custo de 120 Euros, tenha muita procura, como salienta Lourenço França, do Acro Clube da Maia, até porque são “duas das pessoas mais importantes da área do treino do Cirque du Soleil”.

Dirigentes e técnicos da associação consideram que a deslocação destes profissionais à Maia numa altura em que nem sequer ainda existe o Instituto Nacional de Artes Cirsenses (INAC), apesar de estar em fase de lançamento e de ‘castings’, equivale a muitos “bons sinais”. “Este ‘namoro’ já tem mais de seis meses, mas por causa dos Mundiais, que se realizaram há um mês, eles vêm agora para estar também com os nossos atletas e perceberem o que queremos fazer com o INAC. Penso que será um bom ponto de partida para uma jornada que está agora a começar e esperamos que seja a concretização de um sonho”.

Por outro lado, é “reconfortante” que estes dirigentes do Cirque du Soleil tenham manifestado a vontade de virem à Maia fazer este curso e aproveitar para apreciar o trabalho de fundação do INAC, revelou Lourenço França, uma vez que “não fomos nós que os convidamos, foram eles que sugeriram e perguntaram se queríamos que eles cá viessem. Obviamente não podíamos dizer que não. Temos que ser humildes e reconhecer o historial do Acro Clube e o historial do Cirque du Soleil, que é uma das 500 empresas mais importantes do mundo segundo a revista Forbes, e ficar felizes por se interessarem pelo nosso trabalho aqui no nosso pequeno Portugal e na nossa pequena Maia”.

Trio feminino sénior lidera ranking mundial de ginástica acrobática

É um feito inédito na Ginástica Acrobática em Portugal. Três jovens ginastas do Acro Clube da Maia – Joana Patrocínio (19 anos), Jessica Correia (17 anos) e Susana Pinto (19 anos) assumem a liderança do ranking mundial  da sua categoria – sénior.
“Há um circuito mundial de Taças do Mundo em que os participantes vão acumulando pontos” e vai sendo construído o ranking, à semelhança do que sucede com o ATP de Ténis, explicou Lourenço França, “o que acontece pela primeira vez com os trios femininos”.

O trio de ginastas estabeleceu novos patamares na modalidade a nível nacional, conquistando vários prémios e lugares de destaque como: campeãs nacionais 2015; 5.º lugar no Campeonato da Europa 2015; 7.º lugar nos Jogos Europeus 2015; vencedoras da Taça do Mundo de Ginástica Acrobática de Portugal 2016 e 6.º lugar nos Campeonatos do Mundo 2016. A juntar a este feitos históricos, junta-se ainda o apuramento para os World Games 2017.

Lourenço França treina estas atletas, que trabalham juntas desde 2015 e que começaram as suas carreiras no Acro Clube. “É claro que é muito bom estarmos em primeiro lugar no ranking, mas para nós o mais importante é sabermos que demos o nosso melhor nos treinos e nas competições, pois o resto não está nas nossas mãos, também depende dos nossos adversários”.

“O início não foi fácil e houve obstáculos que tivemos de ultrapassar até conseguirmos o equilíbrio e a estabilidade necessária para conseguirmos estes sucessos. Mas depois de uma época dura, mas muito boa – fomos Campeãs Nacionais, vencemos o Got Talent, fomos aos Jogos Europeus de Baku… -, sabíamos que era possível lutar por um bom lugar no ranking mundial. O segundo lugar na Taça do Mundo da Maia, ‘em casa’, na nossa cidade, em que só perdemos o primeiro lugar por uma centésima, foi fantástico. Foi essa prestação que nos valeu o 1.º lugar do ranking mundial até ao momento”, explica a atleta Susana Pinto.