Maia conseguiu centro de contabilidade da PSA e namora a Tesla

Maia namora Tesla

A Maia entrou na corrida para receber a fábrica da construtora de carros eléctricos Tesla. “Estamos em contactos. Queremos que instalem aqui a sua fábrica na Europa”, revelou o presidente da autarquia em declarações ao Jornal de Negócios.

O autarca diz que o concelho que lidera tem melhores condições para acolher a unidade industrial da marca norte-americana. “Temos excelentes acessibilidades rodoviárias, metro, aeroporto, boas infra-estruturas. Em Portugal, a Maia é um oásis”, afirmou Bragança Fernandes.

Foi há cerca de um mês que Elon Musk, líder da Tesla, revelou que a companhia estava a planear instalar uma fábrica na Europa e que o país seria escolhido no próximo ano. Começaram então a “chover” as ofertas geográficas. De França, de Espanha e da Holanda, por exemplo. Além de Portugal.

Este projecto pode significar um investimento de perto de cinco mil milhões de euros e a criação de entre seis e 10 mil postos de trabalho.

Portugal na corrida

Portugal é um dos países que estão a ser estudados pela Tesla para a instalação da sua fábrica na Europa, tendo já havido reuniões da companhia norte-americana com o Governo de António Costa. Entretanto já vários municípios se colocaram no terreno para oferecer as melhores condições de acolhimento do investimento. Primeiro, foi a Câmara de Torres Vedras que se posicionou, mas na corrida também está a autarquia de Viana do Castelo.

PSA na Maia

Bragança Fernandes conseguiu convencer o Grupo Peugeot-Citroën (PSA) a instalar na Maia um centro de serviços de contabilidade da companhia para o Sul da Europa e Norte de África, onde emprega 120 pessoas.

O objetivo inicial do presidente da câmara era que o Grupo Peugeot-Citroën (PSA) investisse na Maia os 48 milhões que vão custar a fábrica que vai instalar em Mangualde. Mas Bragança Fernandes conseguiu convencer a PSA a centralizar nesta cidade parte da área de conferência de faturas do grupo.
O grupo francês instalou-se num edifício situado no centro da Maia, junto aos paços do concelho, mantendo um centro de serviços partilhados, que emprega atualmente 120 colaboradores.